terça-feira, 26 de abril de 2016

Diferenças entre laser e luz pulsada para fotodepilação

Em primeiro lugar, uma explicação. Fotodepilação é um termo que engloba esses dois métodos. Como tanto o laser e a luz pulsada utilizam luz para diminuir os pêlos, é necessário peguntar quando vocês forem se submeter ao tratamento, exatamente com qual tipo de fotodepilação eles trabalham.

Dito isso, vamos aos fatos. Os dois métodos possuem vantagens e desvantagens, e o mais importante, nenhum é definitivo. Esse termo já caiu por terra.
Eu tenho experiência com ambos, mas abandonei a depilação com luz pulsada poucos meses após começar a trabalhar com a máquina.

 Por falar em aparelhos, mais uma coisa precisa ser lembrada. Existem diversos tipos de laser e luz pulsada no mercado, e a maioria é super eficaz. Por esse motivo, não vou ficar falando de cada tipo que existe, para não cansar vocês. Mas se o seu médico trabalha com determinado equipamento, é porque ele sabe maneja-lo bem, portanto tenha confiança no profissional que te atende.

IMAGEM: GOOGLE 

Eu, particularmente, prefiro trabalhar com laser, pois ele de fato destrói a raiz dos pelos. O laser é muito mais específico e seu comprimento de onda (estou falando do laser de depilação, pois existem lasers para outras finalidades, com outros comprimentos de onda) chega exatamente é necessário. 

O número de sessões varia de acordo com a genética do paciente, a cor da pele, seu gênero, a idade e sua situação hormonal. Já atendi pessoas que levaram dois anos depilando a perna, e outras que levaram seis meses. Realmente, o número de sessões é uma incógnita, motivo pelo qual eu nunca gostei de trabalhar com "pacotes de sessões". 

Outra variante é o tempo de duração da depilação. Sim, eu disse que o laser mata a raiz e é verdade. A raiz queimada não volta nunca mais, daí o nome "depilação definitiva". Porém, a pele é um órgão vivo, que se regenera, forma novos folículos, e por
isso, esse termo não se aplica.

As duas grandes desvantagens da depilação a laser são o preço (visto que as máquinas e suas lampadas são caríssimas, custam o preço de um apartamento) e o potencial de queimaduras. Via de regra, todo tipo de pele pode se queimar, embora os fototipos mais altos sofram um risco maior. Cada pele tem uma tolerância. A boa notícia é que possíveis discromias, ou seja, manchas brancas ou escuras ocasionadas pelo laser, costumam melhorar. Mas é no mínimo chato quando acontece. por outro lado, quando temos cicatrizes, a situação complica mais.

A luz pulsada é mais suave, os feixes de luz são difusos e possuem tamanhos diferentes. Por esse fato, acreditamos durante muito tempo, que ela seria melhor para depilar pelos miniaturizados e finos. Na prática, não observei essa "vantagem". 

A luz pulsada não é capaz de destruir o bulbo, mas sim enfraquece-lo. Dessa forma, observa-se que as manutenções necessitam ser mais frequentes, muitas vezes a cada 6 meses ou até menos. Raras são as pessoas que necessitam de manutenções anuais. 

A dor, a meu ver, é igual a do laser. E as chances de complicações também existem. Nesse caso, quando elas ocorrem, as queimaduras cursam com uma púrpura e a formação de cicatrizes é mais frequente (existem raios mais longos do que a raiz do pelo, penetram fundo na pele, portanto, se queimarem, a queimadura é mais séria).

As duas grandes vantagens da luz pulsada são o preço, pois o aparelho é mais barato (mais ou menos o valor de um carro)e a facilidade de realização, pois hoje em dia, a maioria dessas "clínicas" de depilação possuem luz pulsada, embora poucas sejam realizadas por um médico ou enfermeiro.

Independente do que for melhor ou mais conveniente para a sua vida, informe-se sempre sobre a qualificação do profissional que vai te tratar, e o tipo de aparelho.

*** Proibido depilar com cera ou cremes depilatórios enquanto estiver se submetendo a fotodepilação. ***

*** Evite se bronzear. A pele branca bronzeada é mais sensível a queimaduras do que uma pele negra que não se expôs ao sol. ***

5 comentários:

Camila disse...

Fiz luz pulsada, levei uns 3/4 meses fazendo para ficar totalmente livre dos pelos no corpo todo. Até terminar ficou bem feio, ficava falhado e não podia depilar.
Quando finalmente fiquei livre, não durou nem 3 meses. Eu não acreditei quando comecei a perceber pelos novamente... não consigo nem explicar minha decepção.
Em tese era só correr lá e fazer uma manutenção... mas depois de 3 meses indo direto? Fiz para não ver gilete na minha frente por um boooom tempo.

Anônimo disse...

Luciana, que saudades dos seus posts no Blog! Que bom ler um novinho. bjs! Vera

Fazendo arte disse...

Ótimo post!! Eu tentei os dois métodos, mas pra mim o laser foi, sem dúvidas, o mais eficaz!
Abraços, Lu

Carla disse...

Olá! Então de acordo com a tabela os dois tipos de laser funcionam bem para pelos escuros. Estes claros que formam uma penugem no rosto, perto das "costeletas" não responderiam bem. Outra dúvida: para o buço tem que raspar antes ou pode aplicar direto (inclusive no seu instagram aparece você se auto aplicando na região). E mesma dúvida para abaixo do queixo, tem que raspar? Sempre sofri com esses pêlos faciais. Meu medo é raspar antes da aplicação e (aí o bicho vem mais grosso - por mais que as explicações dizem que não) o laser deixar de pegar bem naquele lugarzinho e aí só numa próxima seção. (quase um toc mesmo de deixar escapar algum lugar raspado). Grata, Carla

Debora Grande disse...

Dra. Princesa, é sempre um prazer ler um post seu. Apareça para contar da sua vidinha, e por favor, chame seu irmão de volta. Os posts dele também são excelentes. Saudades,
Débora

Quem somos nós:

Minha foto
minhapele@ig.com.br, Rio de Janeiro, Brazil
Uma médica que ama dermatologia, medicina estética, e principalmente, ADORA o que faz. Um cirurgião plástico apaixonado pela profissão.

Siga "Minha Pele" no seu e-mail...

Acompanham este blog:

Onde você está???