domingo, 29 de março de 2015

Cuidados com a pele de pacientes em tratamento de câncer





Minha amiga, Pri Brandt, do blog Shampoo de Laranja, me "presenteou" com um pedido incomum. Escrever sobre cuidados com a pele de pacientes que fazem quimio ou radioterapia. O pedido me pegou, para variar, no meio de um turbilhão de vida. Eu estava no meio da minha mudança do consultório de Ipanema (ano passado abrimos um na Barra, lembram?) e meu Primo Pietro sofreu um acidente na piscina da sua casa e ficou temporariamente paralítico (depois eu explico essa história melhor, mas quem tiver tiver curiosidade de ler o relato de superação do meu primo, é só segui-lo no Instagram, @Pietromannarino).

Enfim, a última coisa que eu precisava naquele momento era escrever sobre situações tristes. E eu falei isso para a Pri. Neguei o pedido, disse que estava enrolada, que o tema era pesado e merecia que eu me dedicasse antes de escrever. Realmente, o momento não era o mais oportuno, mas quem disse que não pensei nisso durante todos os dias, desde que ela me fez o fatídico pedido?

E outra. Pensei nas pessoas que receberam seus diagnósticos e o fato é que, esses pacientes, COM CERTEZA, não estavam esperando se deparar com essa situação.

O câncer é bem assim. Sempre chega exatamente quando não estamos esperando, ou quando a pessoa está fragilizada. Não existe uma época ideal para escrever sobre isso, da mesma forma que não existe uma fase da vida em que seria menos pior descobrir que se está doente.

Então eu larguei tudo e fui para a Internet pesquisar algo que ajudasse as pessoas que estão na luta da quimioterapia e/ou da radioterapia. Sabemos que os efeitos colaterais na pele, mais comuns nessa situação, são o intenso ressecamento e a coceira da pele. Tem também a queda do cabelo, algumas pessoas sentem dores nas mãos, rachaduras em pés e mãos, bolhas resultantes da radioterapia e uma imensa sensibilidade da pele, principalmente em relação a luz solar.
Sendo assim:

1) Hidrate muito a pele, de preferência usando produtos prescritos pelo seu médico. Alguns produtos de venda livre em farmácias podem agravar a situação.

2) Evite banhos longos, quentes e repetidos no mesmo dia.

3) Não use produtos abrasivos na pele, sejam buchas, ácidos, esfoliantes, produtos de depilação, etc.

4) Proteja-se ao máximo da luz solar, principalmente nos horários de pico.

5) Use protetores solares físicos, e de preferência, livres de PABA.

6) Cuidado com infecções de pele, que podem ocorrer quando a pele está imensamente seca (pois vira uma porta de entrada para infecções, que é tudo o que você não quer, quando está com a imunidade comprometida).

7) Pergunte a seu médico o que fazer quando algum inseto te picar ou quando alguma espinha aparecer. Não permita que esses probleminhas se tornem problemões.

8) Alguns medicamentos quimioterápicos podem gerar erupções acneiformes. Não use os produtos para acne, que você está acostumado a usar, sob risco de agravar a situação.

9) Navegando na Internet, descobri uma marca de produtos para a pele, específicos para pessoas em tratamento de câncer, que vocês podem ver nesse vídeo que postei. Me pareceu ser muito interessante. Chama-se Lindi Skin e aqui tem o link do site deles.

10) Evitem ficar muito tempo no calor. Determinadas cirurgias necessitam que se retirem gânglios linfáticos. Dessa forma, o paciente incha mais facilmente.

11) Ainda sobre o sol. Algumas medicações quimioterápicas podem manchar a pele. Então todo o cuidado é pouco. Não facilite.

12) O cabelo caiu? Não é sempre que isso acontece, mas se for o seu caso, saiba que conheço muitas pacientes que conseguiram recuperar os cabelos. Demora um pouquinho, mas vale a pena esperar. Nem sempre o cabelo cai integralmente, e em alguns casos ele pode recomeçar a crescer até durante a quimioterapia.

13) Cuidado com as cicatrizes de suas cirurgias. Existem muitos produtos que podem ser prescritos, que melhoram a coloração e a textura das cicatrizes. Protejam elas do sol, principalmente nos 6 primeiros meses após a cirurgia.

14) Feridas na boca (aftas) podem ocorrer durante o tratamento de câncer. Podem ser decorrentes do estresse ou das medicações usadas nessa fase. Existem produtos específicos para aftas, que aliviam imensamente a dor. Mastiguem devagar, evitem alimentos muito duros. utilizem um protetor gástrico, prescrito pelo médico.

15) Unhas manchadas podem aparecer durante o tratamento com quimioterapia. Essas manchas somem na maior parte das vezes, quando se encerra o tratamento. Seu médico saberá diferenciar manchas provenientes do efeito quimioterápico, das manchas causadas por fungos, que também são comuns quando a imunidade está baixa.

Espero ter ajudado um pouco.
Queria poder te dar um abraço bem apertado e dizer que tudo vai acabar bem.

segunda-feira, 23 de março de 2015



Se tem uma situação capaz de tirar qualquer ser humano do eixo, é a tal da queda de cabelos. Aliás, esse é um tema que renderia uns seis posts (mas calma, não vou escrever seis posts!).

Curiosamente, as últimas quatro pacientes que atendi no consultório, uma seguida da outra, estavam com essa queixa. 
Dessas quatro, somente uma estava em franca queda capilar, a outra voltou para dizer que havia melhorado de um período negro de queda, e as outras duas estavam normais, pelo menos na hora do exame clínico.

Mulheres com cabelos compridos frequentemente se queixam que os cabelos estão caindo abundantemente. É normal cair em média 100 fios diariamente. Quando ele é muito comprido, esses 100 fios "normais" se tornam um emaranhado, e a pessoa acha que está doente.
Existem muitas formas de se abordar a queda dos fios de cabelo.

Começamos com uma anamnese, onde indagamos sobre o uso de determinadas drogas, restrições dietéticas, suplementos de vitamina A, distúrbios de tireóide, história de patologias recentes, período de pós parto, anemias carenciais, estresse.... 

Depois partimos para o exame físico. Iniciamos com uma inspeção simples do couro cabeludo e dos fios propriamente ditos. Partimos então para o pull test, ou teste de arrancamento dos fios. Selecionamos pequenas quantidades de cabelos e realizamos uma tração, como se estivéssemos puxando. 

O ideal é conseguirmos arrancar menos de 6 fios em todo o couro cabeludo. Esse teste pode não ter uma acurácia muito grande, se o paciente lavar os cabelos antes de comparecer à consulta.

Não é sempre, mas algumas vezes, é necessário pedir que o paciente realize em casa, contagens diárias, durante 14 dias. A pessoa coleta os fios obtidos durante o primeiro pentear da manhã + lavagem. Guardam-se os fios em sacos plásticos após conta-los. É normal perder até 100 fios diariamente, e de 200 a 250 fios quando se lava a cabeça com shampoo (mas se você os lava diariamente, esse número volta a cair para 100).

Outro sinal clínico que o médico irá observar, é a largura da partição. O que seria isso? Pegamos um pente e dividimos o cabelo no meio. Depois vamos repetindo essa operação em outras áreas da cabeça. Esse exame serve para avaliarmos a densidade dos cabelos, que diminui com a idade.

Outros exames:

Avaliação da haste do pêlo. O médico corta entre 25-30 fios e os coloca numa lâmina para avaliar o diâmetro da haste e sua estrutura.

Janela de crescimento do fio. Selecionamos uma área no couro cabeludo onde os fios estão falhando, que possa ser coberta pelos fios restantes. Raspamos uma janelinha e ocluímos com um curativo. Após uma semana, avaliamos se cresceu, o quanto cresceu, se existem falhas, etc. Esse teste também serve para provar para o paciente que o seu cabelo está crescendo. Geralmente, o cabelo cresce em média, 1 cm por mês e 2,5mm em uma semana.

Tricograma e biópsia do couro cabeludo são exames mais específicos, e só realizamos em último caso.

Exame de sangue. Sempre peço, para avaliar função da tireóide, possíveis anemias, ferritina, alterações renais e hepáticas, doenças inflamatórias sistêmicas, etc.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Vai sarar, eu prometo (seu coração partido).


Coração partido. Quem nunca passou por isso? Quem nunca provocou uma situação parecida? 
A verdade é que todos nós já estivemos em algum momento da vida, em um dos lados da história. Claro que é infinitamente menos difícil (porque fácil não é para ninguém), ser aquele que parte o coração. Afinal, a vontade partiu de ti. Por isso hoje vou conversar com as pessoas que estão vivendo o abandono, com aqueles que não têm escolha.

Tenho escutado muita gente no consultório que está passando por isso (culpa do carnaval?), e como algumas coisas eu não posso falar, cara a cara, vou contar aqui no blog como eu lido com isso, quando acontece comigo. Porque sim, eu já passei por isso algumas vezes antes de casar.

1) SUMIR DO MAPA
Eu sou um pouco covarde e talvez seja por isso que eu tomo essa atitude. Saiba que a pior coisa que poderia acontecer quando uma pessoa termina o relacionamento com você, são as famosas recaídas. Elas não vão trazer a pessoa de volta para a sua vida, e sim fazer você se sentir um lixo, quando a criatura se mandar novamente. E ela vai embora, acredite em mim.
Conheço inúmeros casais, principalmente os ex-casados, que quando se sentam para conversar sobre os filhos, ou qualquer outro assunto, o papo termina na cama. Aí, na manhã seguinte, o cônjuge "fujão" agradece, elogia o fato de vocês ainda conseguirem serem tão "amigos", e se manda da sua casa. Isso acontece nas melhores famílias.

Portanto, dê uma sumida, se possível. Evite encontrar a pessoa. Se o marido for buscar os seus filhos, peça para sua secretária ou sua mãe levar as crianças até a porta. Estou falando sério. 
Evite arrumar desculpas para falar com a pessoa. Se o cantor predileto do "falecido" vier tocar na sua cidade, não vá correndo avisar, só para ter um pretexto pra ligar. Aliás, evite falar no celular. Whatsapp ajuda bastante nesses casos, te livra de ficar escutando a voz da pessoa por quem você ainda é apaixonado (a). Se forem só namorados, melhor ainda. Bloqueie a pessoa até no seu celular.

Tire o objeto do seu afeto do facebook. Se possível, saia do facebook. Ainda que você exclua a amizade da pessoa, sempre corre o risco de ver uma foto do seu ex, marcado por algum amigo em comum, numa festa, cercado de paqueras. E isso vai doer muito.

Se der pra sumir do mapa mesmo, tipo para outro país, melhor ainda. Quando eu e meu marido namorávamos, ele terminou comigo. Para a minha sorte, arrumei um estágio em uma universidade em Washington, e quinze dias depois embarquei para morar lá durante 3 meses. Foi a melhor coisa que fiz. Na volta, reatamos o namoro, e casamos pouco tempo depois. Felizmente não conheci ninguém interessante por lá, senão o Gabriel não existiria.

Sumir do mapa, evita que você fique numa situação humilhante, de pessoa abandonada. 

2) NÃO USE AS PESSOAS PARA SE VINGAR, SÓ PARA SE DIVERTIR
A tendência é essa, você toma um pé e a primeira providência é chamar aquela sua amiga ou amigo mais animado para ir numa balada, para "arrumar outro". Você quer se vingar, por isso nem escolhe direito, o primeiro que aparece, você traça. Errado, erradíssimo. 
Saia e divirta-se muito, mas se for para beijar alguém, só faça se estiver morrendo de vontade, para o seu prazer. Nunca para a sua roda de amigos comentar como foi rápida a sua volta por cima, e de preferência, comentar para o seu ex.
Esse erro eu já cometi. E quando cheguei em casa, meu pensamento foi: "Gente, como eu fui ter essa coragem? Que horror! Ainda bem que eu beijei de olho fechado.".

3) NÃO CORTE O CABELO E ETC.
Claro, a vontade é de dar um tapa no visual, pois sua auto-estima está lá no pé. É nessas horas que chegam muitas pacientes querendo "colocar boca, peito e tirar barriga". Essas pacientes são perigosíssimas. O risco de não ficarem satisfeitas com o procedimento é bastante alto. Porque, lá no fundo do coração, as pessoas pensam assim:

"Ele terminou comigo porque meu peito caiu. Se eu colocar um novo, automaticamente ele vai me querer de volta."

Isso vale também para cortes de cabelos radicais, tatuagens e piercings.
Em compensação, para o seu próprio bem estar, você pode e deve investir em exercícios, dieta, drenagem linfática, novos hobbies, consultar seu clínico geral, ginecologista (ou urologista, se for homem) e dermatologista. Mas não para fazer nada radical. Entenderam o espírito da coisa?
Posteriormente, se for a SUA VONTADE fazer alguma coisa mais radical, só faça quando estiver feliz.

4) APROVEITAR PARA FAZER O QUE SEMPRE TEVE VONTADE
Situação clássica. Você gosta de fazer trilha, a pessoa não. Gosta de ler, o "falecido" não. Sonha em aprender dança de salão, mas era casada com uma pessoa com dois pés esquerdos. Sonha em mergulhar nas Maldivas, mas a ex-namorada só cutia um porcelanato (meu caso, o do porcelanato, não das Maldivas).

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
(complete os tracinhos com aquilo que você gostaria de fazer, mas nunca podia)

E então, faça! De preferência, faça muito, repetidas vezes. E eu juro que isso vai te deixar mais feliz.

5) NÃO PENSE NAS COISAS BOAS QUE FICARAM PARA TRÁS
Gente, quem gosta de passado é arqueólogo. Mas se for para ficar se lembrando, não pense nos bons momentos que vocês tiveram juntos (e nem devem ter sido tantos assim, senão ainda estariam juntos).
Quer que eu te ajude?

Lembre que ele não abaixava NUNCA a tampa do vaso. Que achava uma besteira comemorar o dia dos namorados, essa data tão comercial. Que ele falava mal da sua família. Que se embriagava nas festas e te deixava constrangida. Que paquerava as suas amigas na sua frente. Era brega para se vestir. Tinha bafo.

E ela? Ela cozinhava mal. Detestava os seus amigos. Negava "fogo" todo dia. Esquecia de passar desodorante. Reclamava de tudo. Vivia com a mãe dentro de casa e a sua sogra metia o bedelho em tudo. Roubava sua lâmina de barbear para raspar as pernas.

Qualquer outra coisa diferente disso é perda de tempo.

6) ARRUME LOGO OUTRO (A), MAS NÃO QUALQUER UM
Tão ruim quanto sair imediatamente com outra pessoa, é se fechar dentro de um círculo de solidão dentro de casa. Perder a oportunidade de conhecer uma pessoa legal. Achar que ninguém mais presta no mundo. Mudar de orientação sexual (se resolver mudar, faça porque tem vontade e não porque se cansou da canalhice do sexo oposto).
Vai dar trabalho, tem que "sair da casinha". Mas vale a pena.

7) NUNCA SAIA DESMANTELADO (A) DE CASA
...Porque vai ser justamente NESSE DIA, que você vai dar de cara com o seu ex.
...E também porque vai ser justamente NESSE DIA, que você vai conhecer uma pessoa que adoraria paquerar.
...Porque vai ser NESSE DIA que você vai se arrepender amargamente de não ter se esforçado um pouquinho mais.
...E finalmente, porque você não está deprimido, nem nada. E nem doente.

A fila anda.

Quem somos nós:

Minha foto
minhapele@ig.com.br, Rio de Janeiro, Brazil
Uma médica que ama dermatologia, medicina estética, e principalmente, ADORA o que faz. Um cirurgião plástico apaixonado pela profissão.

Siga "Minha Pele" no seu e-mail...

Acompanham este blog:

Onde você está???