terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Nem todo câncer de pele é uma mancha escura

Essa história é antiga, e ainda não havia terminado o meu curso de dermatologia. Estava em um congresso, indo assistir a uma palestra sobre - tinha que ser isso - ÉTICA MÉDICA. Um advogado famoso, daqueles que todo mundo respeita (e tem medo) ia dar a palestra. Estávamos em São Paulo. Calhou de pegarmos o mesmo elevador, e quando entramos não deu pra ignorar...

O homem estava com uma lesão no dorso do nariz, que parecia ser um carcinoma basocelular. E era enorme. Mas eu não tinha certeza se era, pois estava estudando ainda (e estava beeeeeem no início). Então surgiu a questão:


Como eu gosto de ir dormir sem nenhuma questão me atormentando os pensamentos, contei. Obviamente eu disse que era médica, mas que não tinha terminado meu curso de dermatologia. Pedi que ele me desculpasse, mas eu não podia ignorar uma lesão que tinha todo o jeito de ser um carcinoma basocelular, que seria interessante ele marcar uma consulta com o médico de confiança da família dele.

O que aconteceu? Ele agradeceu muito a preocupação, mas disse que aquilo lá não era um câncer de pele, e sim um calo que seus óculos fizeram no nariz. Que ele já tinha aquilo há anos (como é comum de acontecer nesses tumores, que podem ter um crescimento lento, nem sempre eles crescem rápido), e que o "calo" não o incomodava nem um pouco.

Resolvi não dizer mais nada, o recado foi dado. Essa resistência ao escutar a sugestão de que aquilo seria um câncer de pele aconteceu, porque uma grande parcela da população acredita que câncer de pele é sinônimo de uma mancha escura na pele, ou uma pinta estranha. Muitos, só conhecem os melanomas.

Mas na realidade, existem até os chamados "melanomas amelanóticos", que não necessariamente são pretos. Essas lesões podem ser rosadas e até esbranquiçadas, é um diagnóstico dificílimo.

Existem os carcinomas basocelulares, que são nódulos cor da pele, com finas teleangiectasias na sua borda (são lindos, devo admitir). Algumas vezes ulceram e ficam horrorosos, podem desfigurar um rosto.

Existem lesões, úlceras que nunca cicatrizam. Elas podem ser pequenininhas e não causar preocupação no paciente, mas essa lesão pode ser maligna, um tipo de carcinoma chamado espinocelular.

Existem diversos tipos de câncer, e se algum dia vocês notarem uma lesão diferente, procurem seus dermatologistas, para tirar a dúvida se aquilo pode ser ou não um câncer de pele.


Todas essas imagens foram retiradas do Google e são exemplos de câncer de pele, que não necessariamente se parecem com uma pinta ou mancha escura.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Oncologista desaparecido - ajudem!



Queridos amigos:
O pai de uma grande amiga minha, sumiu no último fim de semana. Ele é um oncologista prestigiado, super pai, super avô, e não tinha motivos para desaparecer. Ele desapareceu em São Paulo, durante um congresso, onde ele lançou um livro. 
Acreditamos que ele possa ter se sentido mal na rua. Mas o que realmente aconteceu, ainda não sabemos. 
Por favor, se tiverem alguma informação sobre ele, me avisem.
Muito obrigada, pessoal!
A família agradece!
Mais informações sobre o caso AQUI.

Quem somos nós:

Minha foto
minhapele@ig.com.br, Rio de Janeiro, Brazil
Uma médica que ama dermatologia, medicina estética, e principalmente, ADORA o que faz. Um cirurgião plástico apaixonado pela profissão.

Siga "Minha Pele" no seu e-mail...

Acompanham este blog:

Onde você está???