sábado, 23 de novembro de 2013

Proteção Solar X Férias

Eu acho uma delícia esse clima de férias, ainda que eu esteja longe de entrar de férias... Mas como somos todos humanos, eventualmente conseguimos dar uma escapada no final de semana.
Nesses dias de relaxamento, acabamos exercendo atividades que não fazem parte da nossa rotina, tais como mergulho, passeios longos, surf, caminhadas, passeios de buggy, esqui... E não é raro meus pacientes aparecerem todos queimados no consultório na segunda-feira, com a frase "mas eu usei protetor solar!" na boca e uma dúvida nos olhos.

Porque isso acontece? Principalmente, porque cada atividade necessita de cuidados especiais específicos. Nesse post, vou tentar dar algumas dicas para salvar a pele de vocês.
Quando falamos em proteção solar nas férias, a primeira dúvida que surge é qual o protetor solar ideal. Nas férias, você precisa de uma proteção alta, para rosto E CORPO. Não é raro as pessoas usarem um FPS 50 na face e 30 no corpo. Se você ainda tem dúvidas em relação a fazer diferença ou não usar um FPS alto, leia este post.

Separei para vocês alguns protetores com FPS alto. Podem guardar a lista!


O meu preferido para as férias é o Photoprot, o primeiro da esquerda. O frasco não pesa na bolsa e ele protege bastante, principalmente as opções com cor de base. Como desvantagem, acho que esse produto é extremamente oleoso. Para não sair de casa brilhante (brilho, só na roupa!) eu costumo aplicar um pó com FPS por cima.
Para quem tem a pele extremamente oleosa, minha opção é o Heliocare FPS 90. A cosmética é maravilhosa e eu adoro o cheirinho característico dele.
Outro que merece destaque, principalmente para a ala masculina é o Neutrogena Spray Sport. Ele fixa bem e resiste bastante a água e suor. O fato de ser em spray ajuda a penetração entre os pêlos, inclusive no couro cabeludo daqueles que estão começando a se tornar calvos.

Além dos protetores de se passar, existem os de se tomar pela boca. Existem diversas marcas no mercado, mas eu trabalho basicamente com dois produtos:


A prescrição desse tipo de produto é individualizada. Existem pacientes que só precisam usar um deles, outros usam os dois (tipo EU). A quantidade de comprimidos que cada um toma também varia. Vai depender do fototipo, do uso de determinados tipo de medicamentos fotossensibilizantes e da história de doenças prévias e atuais. Complexo, não é?

Dito isso, vamos conversar sobre alguns tipos de atividades de férias, e como se proteger em cada uma delas.

1) Passeio de Buggy no Nordeste, passeios de quadricículo, moto, esqui-bunda, etc.
(pense em...velocidade)


Fazer como o meu marido, que só usou protetor solar e não colocou nem uma camisa, tem tudo pra dar errado!
O ideal seria usar um protetor potente antes de sair do quarto do hotel, colocar uma camisa de mangas compridas com proteção UV (você encontra AQUI) e colocar um óculos escuro, para proteger os olhos do sol e da areia.
Outra dica seria se sentar ao lado do motorista, pois você estará mais protegido contra o sol.
E não se esqueça de se hidratar sempre.
Por incrível que pareça, não recomendo levar chapéu. Você vai perde-lo sem sombra de dúvida (literalmente).

2) Esportes Aquáticos (surf, passeios de lancha, nado com golfinhos, esqui aquático, Banana boat, etc)



Gabriel está protegido do sol... O vovô, nem tanto...
Usar chapéu nesse tipo de passeio também não é muito recomendável. Nesse caso, a proteção solar é idêntica às dos passeios de buggy, porém, um cuidado preciso ser tomado, que é a reaplicação mais frequente do protetor solar, mesmo usando os  protetores ditos "resistentes a água". Pense numa proteção "Tele-Sena", de hora em hora.

E outra, se for andar de lancha com crianças, compre antes da data da viagem um colete salva-vidas e leve! Essas lanchas nunca têm coletes infantis.

Mais uma: vocês se lembram do bom e velho Hipoglós no rosto, que os surfistas usam? Acho super válido, desde que você o aplique sobre o protetor solar.

3) Caminhadas:

Aqui cabem todas as recomendações anteriores + Uso de chapéu obrigatório!

4) Neve:

A neve age como um quarto de espelhos, canalizando a luz para o seu rosto. O seu corpo estará protegido pela roupa, mas o rosto precisa ser blindado com o bloqueador. é muito comum queimaduras graves na face, em locais de neve.


sábado, 9 de novembro de 2013

I-Lipo, laser contra gordura localizada (chora, gordura!)


Depois de muitos meses de ansiedade, eis que meu aliado chega no nosso consultório!
Eu estava louca para fazer um post caprichado sobre ele, cheio de perguntas e respostas, mas minha vida andou super tumultuada nos últimos dias (inclusive em função do I-Lipo, que está ocupando boa parte da minha agenda... e o Gabriel ocupada o resto).

Vamos ao que interessa?

1) O que é o I-Lipo?
É um aparelho de laser diodo, de baixa intensidade, que tem como objetivo, reduzir medidas e melhorar o aspecto da gordura localizada.

2) Como ele age?
O laser emite uma luz que destrói a parede das células de gordura (pense numa bexiga de água sendo furada com uma agulha). Essa gordura vai escorrer e sair do corpo através do sistema linfático, principalmente através da urina. A célula murcha, e você diminui medidas.

3) Fazer I-Lipo é igual a realizar uma lipoaspiração?
NÃO.
Tem um monte de sites e revistas fazendo uma propaganda, que na minha opinião é enganosa para o paciente.
Vocês vão ler por aí, termos como "a lipo sem dor", a "lipo inteligente", etc.
A lipoaspiração suga a célula de gordura, ela sai do corpo ("abandone esse corpo que não te pertence!").
O I-Lipo diminui o tamanho da célula de gordura, e isso é suficiente para melhorar o seu contorno corporal, mas ela continua lá.
Então fica combinado assim:
Lipo é lipo.
I-Lipo é I-Lipo.

4) Mas funciona mesmo?
Gente, pra minha surpresa, funciona sim. 
Este aparelho foi a estrela do último meeting de dermatologia e dos congressos europeus. Mas ainda assim, eu sou daquelas que só acredita vendo. E quando vieram tentar nos vender o I-Lipo, eu e minha mãe solicitamos que o aparelho ficasse uma semana em nossa clínica, afim de avaliarmos a eficácia. E todas as pessoas em que testamos diminuíram medidas. Uns mais, outros menos.

5) Dói????
Nada, nada, nada. 
Para mim, a maior revolução, o motivo mega-blaster de todo o ba-fa-fa em torno do I-Lipo é justamente isso.
Antes, eu tratava gordura localizada com intradermoterapia (injeções) e carboxiterapia, que também envolve agulhas. Envolver agulhas significa sentir dor, ter hematomas e risco de infecção. As pessoas já chegavam deprimidas no consultório.
Aí inventaram o laser que congela gorduras. Eu cheguei a me empolgar com ele, porque funciona mesmo, mas o tratamento é doloroso e também deixa hematomas (quem é carioca não pode ter hematomas no verão).
Outras partiam para a lipoaspiração. Eu já fiz lipoaspiração e foi a melhor coisa que já fiz na vida. Mas meu estilo de vida, HOJE, com um filho pequeno e autista, e muito trabalho no consultório e hospital, não me permite tirar dez dias para me recuperar de uma lipo.
Então o I-Lipo é um tratamento muito se aproxima de uma lipo, em termos de resultados, mas sem dor e o tempo de recuperação que é necessário em uma cirurgia.

6) Quais as vantagens do I-Lipo?
Muitas!
Funciona mesmo.
Não dói. De fato, é agradável de se fazer, você sente um calorzinho no local.
Não é algo absurdamente caro.
Vemos resultados logo na primeira sessão, o que anima de continuar o tratamento.
Não é invasivo.
Não existe risco de infecção.
Não existe tempo de recuperação.

7) Quais as desvantagens do I-Lipo?
Na minha opinião, só existe uma.
A pessoa precisa fazer oito sessões, para considerar o tratamento completo. E é chato ir ao consultório oito vezes, você perde tempo.
Você pode fazer o tratamento uma, duas ou três vezes na semana. O ideal é fazer duas.

8) Quem não é um bom candidato a fazer este aparelho?
Pessoas que estão muito acima do peso vão ficar frustados, pois vai haver redução de medidas, mas não redução de peso.
Gestantes não podem fazer, óbvio.

9) Quais áreas podem ser tratadas?
Qualquer uma, até as pequenas, como o papo e os braços.

10) Existe algum cuidado a ser seguido?
Sim.
Evitar comer carboidratos e gordura uma hora antes e duas após a sessão.
Fazer um exercício leve (pode ser uma caminhada) meia hora após a sessão.
Se a pessoa faz drenagem linfática, recomendo que faça no dia seguinte. Mas isso não é essencial, é só um cuidado a mais.

11) O que você sentiu quando fez?
Durante o procedimento, senti um calor leve e delicioso.
Após a primeira sessão, senti um calor no abdome durante umas duas horas, após o procedimento. Nas outras sessões, não senti nada.
No meu caso, já fiz quatro sessões e perdi 6cm de cintura e 2,5 de quadril.
Faltam mais quatro...será que vou....SUMIR???? KKKKKKKKKKK

12) Você, que é a dona do aparelho, já pensou em ir dormir conectada nele?
Lógico, foi a primeira idéia que tive. Mas a pessoa só pode fazer 30 minutos do aparelho por semana.. :-(
Então, dependendo de como você escolhe quantas vezes na semana vai usar o aparelho, as sessões durarão 10, 15 ou 30 minutos.

Recadinho final. 
Existem muitas fotos de Antes & Depois na Internet. Não coloquei nenhuma aqui, porque cada resultado é individual.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Sob os auspícios de Baco !!


Oi pessoal!

Há muito tempo venho ruminando uma vontade de escrever sobre vinhos, mas por se tratar de um assunto MUITO amplo, e às vezes mais complexo que a própria cirurgia plástica, ficava na dúvida de como abordá-lo.
O interesse por vinhos surgiu na minha lua-de-mel. Fomos ao Chile e fizemos um passeio despretensioso à vinícola Concha y Toro. Era uma visita guiada com mil explicações sobre o processo de preparação dos vinhos, os tipos de uvas, harmonização e lendas locais (interessante a estória do "Casilero del Diablo").

À partir daí comecei a me interessar por esse mundo fantástico dos vinhos. Claro que não sou, nem tenho pretensão de ser um expert, mas posso passar algumas dicas para aqueles que, como eu querem se aventurar nessa gostosa brincadeira.
Existe muita literatura sobre o assunto, e de fato ler sobre vinhos ajuda. Tem um programa na rádio CBN chamado "momento do brinde", que vai ao ar às 14h dentro do jornal da CBN apresentado por Carlos Alberto Sardenberg (profundo conhecedor de vinhos), que é muito interessante. Quem não conseguir ouvir no rádio pode acessar o site que tem todos os comentários gravados. Aprendo muito ouvindo o Sardenberg e o Jorge Lucki na CBN.

Mas a melhor maneira de aprender ainda é bebendo. E por isso vou passar um "guia" básico para quem quiser começar a montar sua coleção de vinhos.
Primeiro ponto:
Comprando o vinho.
Na minha opinião o ideal é começar comprando vinhos de uva pura para acostumar o paladar com o maior número de variedades de cortes possível. E nesse contexto não recomendo os vinhos franceses. Os franceses gostam de misturar suas uvas criando vinhos extremamente complexos que acho que
para quem está "chegando" agora fica difícil entender. Prefira os chilenos de Cabernet Sauvignon ou Carmenere, os argentinos da uva Malbec, os Chadornnays da África do Sul, os Sangiovese italianos, e os espumantes brasileiros da uva moscato.

Com esses vinhos o iniciante poderá harmonizar muitos pratos, por exemplo: Um bom churrasco com um Malbec argentino,ou uma massa com molho branco ou um peixe grelhado com um Chadornnay, um espaguete com molho vermelho e carne com um Sangiovese toscano, um medalhão com risoto com um Cabernet Sauvignon ou um Carmenere e até um bolo de aniversário com uma boa cobertura de chantily cai bem com um moscato da Serra Gaúcha!



E para guardar essas "jóias"? Sem dúvida as adegas climatizadas são as melhores opções. A geladeira produz vibrações indesejadas, portanto prefira as caves climatizadas, e evite as "termoelétricas" para mais de 12 garrafas, pois estas trabalham fazendo troca de calor com ambiente e considerando as
altas temperaturas no Brasil, essas adegas acabam por consumir muita energia e diminuem sua vida
útil. A melhor pedida são as de compressor.
A temperatura ( da minha) fica regulada em 14 graus. Considerando que um tinto é servido a 16 e um branco a 12, quando vou servir um tinto, até abrir a garrafa, decantar e etc ele chegou a 16, e no caso
do branco, deixo 5 minutinhos no balde de gelo. Pronto está a 12 graus.



E para servir?
Achava besteira, mas me rendi ao decantador. Consiste em uma grande garrafa de base larga onde depositamos o vinho e deixamos ele "descansar" - esses termos são o máximo!
Realmente ele oxigena mais e fica bem macio - outro termo sensacional! Não serve para brancos.
As taças são outro capitulo à parte. Existe uma infinidade de tipos de taças, mas aconselho comprar apenas dois tipos: Uma "bordeaux" e uma para espumantes. De preferência transparente e de cristal, pois a observação do vinho, sua coloração e consistência fazem parte da degustação.
No mais é beber, com moderação, e aproveitar todos os benefícios que esta bebida milenar, bíblica e
desafiadora nos dá.
Saúde!
Luiz Felipe

Quem somos nós:

Minha foto
minhapele@ig.com.br, Rio de Janeiro, Brazil
Uma médica que ama dermatologia, medicina estética, e principalmente, ADORA o que faz. Um cirurgião plástico apaixonado pela profissão.

Siga "Minha Pele" no seu e-mail...

Acompanham este blog:

Vamos Bater um Papinho?

Onde você está???