quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Sob os auspícios de Baco !!


Oi pessoal!

Há muito tempo venho ruminando uma vontade de escrever sobre vinhos, mas por se tratar de um assunto MUITO amplo, e às vezes mais complexo que a própria cirurgia plástica, ficava na dúvida de como abordá-lo.
O interesse por vinhos surgiu na minha lua-de-mel. Fomos ao Chile e fizemos um passeio despretensioso à vinícola Concha y Toro. Era uma visita guiada com mil explicações sobre o processo de preparação dos vinhos, os tipos de uvas, harmonização e lendas locais (interessante a estória do "Casilero del Diablo").

À partir daí comecei a me interessar por esse mundo fantástico dos vinhos. Claro que não sou, nem tenho pretensão de ser um expert, mas posso passar algumas dicas para aqueles que, como eu querem se aventurar nessa gostosa brincadeira.
Existe muita literatura sobre o assunto, e de fato ler sobre vinhos ajuda. Tem um programa na rádio CBN chamado "momento do brinde", que vai ao ar às 14h dentro do jornal da CBN apresentado por Carlos Alberto Sardenberg (profundo conhecedor de vinhos), que é muito interessante. Quem não conseguir ouvir no rádio pode acessar o site que tem todos os comentários gravados. Aprendo muito ouvindo o Sardenberg e o Jorge Lucki na CBN.

Mas a melhor maneira de aprender ainda é bebendo. E por isso vou passar um "guia" básico para quem quiser começar a montar sua coleção de vinhos.
Primeiro ponto:
Comprando o vinho.
Na minha opinião o ideal é começar comprando vinhos de uva pura para acostumar o paladar com o maior número de variedades de cortes possível. E nesse contexto não recomendo os vinhos franceses. Os franceses gostam de misturar suas uvas criando vinhos extremamente complexos que acho que
para quem está "chegando" agora fica difícil entender. Prefira os chilenos de Cabernet Sauvignon ou Carmenere, os argentinos da uva Malbec, os Chadornnays da África do Sul, os Sangiovese italianos, e os espumantes brasileiros da uva moscato.

Com esses vinhos o iniciante poderá harmonizar muitos pratos, por exemplo: Um bom churrasco com um Malbec argentino,ou uma massa com molho branco ou um peixe grelhado com um Chadornnay, um espaguete com molho vermelho e carne com um Sangiovese toscano, um medalhão com risoto com um Cabernet Sauvignon ou um Carmenere e até um bolo de aniversário com uma boa cobertura de chantily cai bem com um moscato da Serra Gaúcha!



E para guardar essas "jóias"? Sem dúvida as adegas climatizadas são as melhores opções. A geladeira produz vibrações indesejadas, portanto prefira as caves climatizadas, e evite as "termoelétricas" para mais de 12 garrafas, pois estas trabalham fazendo troca de calor com ambiente e considerando as
altas temperaturas no Brasil, essas adegas acabam por consumir muita energia e diminuem sua vida
útil. A melhor pedida são as de compressor.
A temperatura ( da minha) fica regulada em 14 graus. Considerando que um tinto é servido a 16 e um branco a 12, quando vou servir um tinto, até abrir a garrafa, decantar e etc ele chegou a 16, e no caso
do branco, deixo 5 minutinhos no balde de gelo. Pronto está a 12 graus.



E para servir?
Achava besteira, mas me rendi ao decantador. Consiste em uma grande garrafa de base larga onde depositamos o vinho e deixamos ele "descansar" - esses termos são o máximo!
Realmente ele oxigena mais e fica bem macio - outro termo sensacional! Não serve para brancos.
As taças são outro capitulo à parte. Existe uma infinidade de tipos de taças, mas aconselho comprar apenas dois tipos: Uma "bordeaux" e uma para espumantes. De preferência transparente e de cristal, pois a observação do vinho, sua coloração e consistência fazem parte da degustação.
No mais é beber, com moderação, e aproveitar todos os benefícios que esta bebida milenar, bíblica e
desafiadora nos dá.
Saúde!
Luiz Felipe

9 comentários:

Anônimo disse...

Gostei muito do Post!
Eu aprendi a beber vinho bem tarde e no começo foi dificil me adaptar ao verdadeiro vinho que é nao docinho como os vinhos baratinhos. Mas hoje em dia é um prazer degustar diferentes vinhos as sextas-feiras!

Anônimo disse...

É tão engraçado... Começo lendo achando que é a Luciana e não vou entendendo como ela gosta tanto de vinhos a ponto de escrever um post sobre isso e depois vejo que é o irmão... rs rs rs

Bj.

Juliana Ferri disse...

Estou "acabando de chegar" no mundo dos vinhos e adorando. Seu post foi bem esclarecedor para iniciantes como eu! rs! Obrigada e parabéns!!

prestes disse...

Mas que beleza de post!
Num dia suuuper apropriado!

Anônimo disse...

Adorei!!
Muito obrigada por dividir.
Silvia

Luiz Felipe Chichierchio disse...

Um adendo:
Os vinhos feitos de 1 uva chamam-se
"Terroir"
Tears

Anônimo disse...

Quem decanta , seus males espanta.

www.vinhosfinosdobrasil.com.br

Anônimo disse...

Quem decanta , seus males espanta.


www.vinhosfinosdobrasil.com.br

Anônimo disse...

Apreciei demais o post, repassei para o marido e amigos.
Bons auspícios!

Quem somos nós:

Minha foto
minhapele@ig.com.br, Rio de Janeiro, Brazil
Uma médica que ama dermatologia, medicina estética, e principalmente, ADORA o que faz. Um cirurgião plástico apaixonado pela profissão.

Siga "Minha Pele" no seu e-mail...

Acompanham este blog:

Onde você está???