segunda-feira, 26 de março de 2012

Girafa Sophie no Brasil




Eu confesso.
Quando ganhei essa girafinha de uma paciente, claro que achei o brinquedo muito simpático. A Sophie é muito fofa!
Mas o que eu não sabia é que a Sophie é um fenômeno! Que todas as crianças, anônimas e mini-celebridades adoram brincar com ela. E que é dificílima de se achar no Brasil.
Os bebês amam morder a Sophie.

Dizem que esse foi o primeiro brinquedo de borracha desenvolvido para bebês. Ela nasceu em 1961, no dia de Santa Sofia, daí o seu nome. Desde então, ela passa por gerações e sempre foi produzida artesanalmente.

O Gabriel é completamente apaixonado pela girafa dele. Uma vez, esqueci a bendita lá na casa do meu avô e precisei descobrir como fazer para comprar outra.
Daí descobri este SITE que vende.

Quando eu viajar para a França, vou comprar umas três ou quatro para presentear minhas amigas. É o presente ideal para quem já "tem tudo". Falo isso por experiência própria.

Por falar em investir...

Muitas leitoras estão me pedindo para eu dizer quanto custam determinados procedimentos da nossa clínica. Algumas por simples curiosidade, outras para ver se estão pagando "um preço justo".
Queridas, isso de "preço justo", é um pouco complicado, pois esses preços variam muito conforme o endereço do consultório (inclusive o ESTADO onde ele se encontra), o tamanho dele, o número de funcionários, a experiência do médico, a marca dos produtos usados na clínica, e etc.
Como vocês sabem, muitas vezes o barato sai caro.

De qualquer forma, AQUI tem uma matéria na revista Veja que dá uma ótima idéia de preços. Espero ter conseguido ajudar um pouquinho, porque dá para se ter uma média do quanto algumas coisas custam.
Em tempo, se as coisas fossem vendidas por um preço mais justo aqui no Brasil, os preços poderiam ser infinitamente mais acessíveis. Mas, por aqui, um laser sai pelo preço de um apartamento. Os preenchimentos são em média três vezes mais caros do que na Europa (e nós compramos grandes quantidades de produto, o que nos garante um pequeno desconto).
A toxina botulínica é igualmente cara. Enfim, não existe mágica. Isso é Brasil....

sábado, 24 de março de 2012

Investir ou Economizar ?

Quem não nasceu filha da Madonna sabe que nem sempre dá para comprar as marcas mais caras e poderosas de todos os produtos. Até porque, mulher precisa comprar tantas coisas para ficar linda!
Se você está passando por um período de contenção de gastos (e quem não está?) saiba no que eu prefiro investir ou economizar:

1) Protetor Solar Facial
Você precisa ter o melhor. Ponto final. Independente do preço. Aí você vai me perguntar, lógicamente, qual seria o melhor protetor do mundo. A resposta não poderia ser outra. É aquele que você consegue usar e se sentir bem no dia-a-dia. Geralmente estes produtos com uma cosmética ótima não são baratos, porque tecnologia custa caro.

2) Seu creme Anti-Oxidante
Geralmente, estes cremes são poderosíssimos e os ingredientes ativos de última geração são difíceis de serem encontrados ou então é necessário uma quantidade grande deles na fórmula do creme para que este seja efetivo. E não estou falando de vitamina C ou E, e sim de ácido ferúlico, ácido alfa-lipóico, coisa fina.

3) Base de Maquiagem
Essa precisa ser perfeita. Ser confortável de se usar, cobrir bem as suas imperfeições, não causar espinhas, ter uma boa durabilidade... e tudo isso reunido em um só produto custa caro.

4) Esmaltes
Os de marcas importadas, tipo Essie ou OPI duram mais, as cores são maravilhosas, os "efeitos especiais" são incomparáveis e eles costumam dar menos alergias do que as marcas nacionais.
Mas calma lá: quem tem alergia a esmalte, costuma ter alergia a qualquer esmalte, inclusive aos importados.
Eu sei que os nossos esmaltes melhoraram 300% mas ainda não chegaram lá.

5) Máscara Hidratante de cabelos
Uma máscara poderosa faz toda a diferença. Todo mundo sabe. Se for usada toda semana e corretamente, salvam os nossos cabelos. É fato. E as melhores cu$tam caro.

1) Protetor Solar Corporal
A ciência é simples: no corpo, é mais difícil sentir o cheiro deles - se houver. No caso do creme ser mais engordurado, é até bom porque hidrata o corpo. Dificilmente causa espinhas, a não ser se usado em adolescentes, ou em quem tem a pele muuuuuito oleosa.

2) Hidratante Corporal
Existem ótimas marcas e baratas, que dão conta do recado. E você pode usar sem medo de economizar. Encha as mãos e lambuze-se!

3) Rímel
Sinceramente, eu encontro mais máscaras boas de marcas populares do que as caras, tipo Lancôme, e etc. Nada se compara ao Telescopic, na minha opinião. Até os pincéis das marcas populares evoluíram.

4) Shampoos e Condicionadores
Eu era besta com essas coisas. Só usava marcas de salão (e nem sempre ficava satisfeita, o que é pior!). Mas de uns tempos pra cá, tenho me aventurado no mundo das marcas como Seda (estou amando o lilás, "liso perfeito"), Pantene, Dove, etc, e não tenho achado ruim não.

5) Sabonete
Como só deve ser usado em virilhas, axilas e pés (as áreas críticas), qualquer marca resolve o seu problema. Sabonete, se usado em braços, barriga e pernas, pode ressecar a sua pele (sim, até o Dove). Só se deve investir no sabonete se você for alérgico. Nesse caso, o que eu estou apaixonada no momento é o Cetaphil Restoraderm Sabonete. Mas é uma facada no baço.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Festa do Gabriel (parte 1) - Vai comemorar?


Esse é o X da questão. Eu nunca pensei em comemorar a festinha de um ano do meu filho, por todas aquelas razões que nós já conhecemos:
1) A festa é "basicamente" para os pais e não para a criança.
2) Corre-se o risco de a criança estar cansada no dia e ficar aborrecida.
3) É mais um gasto, que se soma a milhares de outros. E, no meu caso específico, já fiz duas festas recentemente (a de chá de bebê e o batizado do Gabriel, cada uma com um espaço de seis meses).
4) O tempo é curto quando se tem um bebê e a mãe trabalha fora (e a babá só pintou na área quando o bebê completou nove meses).

Mas... o tempo foi passando e a vontade foi crescendo. Senti que tinha tanto para comemorar nessa data! Mesmo que o Gabriel não curta, a MÃE e o PAI vão se divertir horrores, isso é certo!
Então, a primeira decisão foi tomada: vai ter festa!

Segunda decisão: qual será a magnitude da festa? Vai ser festão ou festinha? E para quantas pessoas? Em casa ou em buffet? Sentiram o drama da coisa? Eu adoro fazer festas! E se no início pensamos em fazer um "bolinho em casa só para os tios e primos", agora decidimos fazer tudo numa casa de festas.
Depois de arrumar o orçamento de buffets e casas de festas, acabei optando pela casa de festas com melhor custo X benefício. A casa não é exageradamente grande, a comida é gostosa e os brinquedos são super legais.

Depois precisamos decidir o tema, e essa é a parte mais divertida da coisa toda. Fiquei em dúvida entre circo, fundo do mar e festa junina. Acabamos optando pela festa junina, porque eu posso "soltar a franga" com mais facilidade. Eu preciso ficar lembrando que essa é uma festa de meninO.

Depois disso tudo, entrou a ajuda de uma leitora antiga, a Flavia, que vai me ajudar com os convites e a parte personalizada da festa.
Aguardem maiores detalhes...

sexta-feira, 16 de março de 2012

Você tem medo de quê?


Consultório médico não é trem fantasma, mas pode ter as suas surpresas desagradáveis. Resolvi listar os medos mais comuns dos pacientes:

1) MEDO daquela biópsia vir com alguma neoplasia maligna/ doença incurável/ debilitante:

São dias de angústia até que o resultado chegue. E algumas vezes, é preciso repetir o exame, sobretudo se a clínica do paciente é muito diferente do resultado anátomo-patológico. Nós, médicos, também ficamos sofrendo de ansiedade, afinal, somos nós que damos as más notícias - quando elas acontecem.

2) MEDO de escolher o médico errado:

Eu sei o que passa pela sua cabeça. Você se pergunta se terá empatia com o médico. Se ele vai conseguir resolver/ amenizar o seu problema. Se ele é bom tecnicamente.
Uma vez fui numa ginecologista e não a conhecia pessoalmente. Durante a consulta, detestei a mulher já durante a anamnese. Pensava "nunca que eu vou deixar essa mulher vai colocar a mão em mim". Aí eu simulei uma candidíase (disse que estava com todos os sintomas) e ela preferiu fazer "o exame preventivo" num outro dia, exatamente como eu sabia que ela faria. Nunca mais voltei lá.
A melhor propaganda de um médico é o tal do "boca a boca". Se alguém já foi no médico e aprovou, são grandes as chances de você gostar também.

3) MEDO de agulhas:

Muita gente tem. Eu tenho. Eu (até pouco tempo) desmaiava para fazer exames de sangue. Para dizer a verdade, uma vez cheguei a fazer uma convulsão por hipoglicemia, porque juntou o jejum com o stress pré-picada (o stress consumiu a pouca glicose que me restava). Muito comum as pessoas passarem mal, MAL MESMO, por causa de uma inocente agulha de injeção. É tão fácil aplicar nos outros... Eu gosto tanto que trabalho com isso! Mas quando é a nossa carne a ser picada... não é fácil.
Mas de alguma forma, ao longo de muitos anos, eu superei isso. Não posso dizer que fico feliz quando preciso que me injetem alguma coisa, mas pelo menos não passo mais vergonha.

4) MEDO de não gostar do resultado:

Medicina é uma arte, não é uma ciência exata. Não tem como saber se você vai gostar do resultado do seu botox, do seu preenchimento, do seu laser, a não ser que você crie coragem... E FAÇA! Da mesma forma que você não sabe se vai curtir um novo corte de cabelo. As coisas não são iguais na teoria e na prática. Definitivamente, o fica bom na sua amiga (ou inimiga, vai saber..), não necessariamente será o melhor para você.
É muito difícil ter garantias nessa vida. Nós nem sabemos se vamos conseguir atravessar uma rua com segurança.
E quando falamos de resultados estéticos, cada organismo reage de uma maneira. Aliás, o mesmo organismo reage de maneira diferente em épocas diferentes da vida, o que nos leva ao quinto medo, que é...

5) MEDO do resultado não durar muito:

Eu fiz preenchimento nos lábios duas vezes na vida. Usei o mesmo ácido hialurônico, e quem aplicou foi a mesma pessoa (minha mãe). Na primeira vez, o efeito durou quase um ano. Fiquei muito bem por uns nove meses. Animada, fiz o segundo.
Juro, o segundo não durou nem três meses. Fiquei chateada, não por conta da grana do material (até porque, minha mãe não me cobrou), mas porque o procedimento DÓI PRA BURRO, e eu sofri como uma condenada. Então, reflitam comigo:
- Mesma paciente
- Mesma médica
- Mesmo material
- Mesma técnica empregada (gosto que minha mãe use cânula, fica com menos hematomas, e me fura menos)
Pergunta: o que mudou? Porque durou menos? Resposta: meu metabolismo. Em épocas de stress, doenças, muita agitação, problemas na tireóide, uso de determinadas substâncias, tudo isso pode fazer o seu organismo degradar mais rápido o que foi injetado. Não é culpa sua, nem do material, nem do médico.
A culpa é do seu organismo como um todo. Então, se o seu botox não dura, seus pêlos não terminam nunca na depilação, suas manchas não somem, só posso dar um conselho. Tente novamente. Quem sabe, se daqui a uns meses, o seu organismo não recebe melhor o tratamento?

6) MEDO de o marido/ namorado/ namorido detestar:

Quando optar por fazer algum tratamento estético, você precisa ser egoísta e pensar só em você. Mesmo se o dinheiro for dele. Você é quem precisa estar feliz com o resultado final. E se ele DE-TES-TAR e você realmente não puder superar isso, lembre-se que nada dura para sempre. Daqui a alguns meses, o efeito some e você pode então tentar outra coisa.

7) MEDO de se arrepender... financeiramente falando:

Para que não aconteça, pense bem antes de fazer este investimento. Se prepare para isso. Junte o seu dinheiro. Veja se conseguirá arcar com a manutenção do tratamento, inclusive em casa. Se um orçamento for demais para o seu bolso, pesquise outros preços, ou negocie com o médico uma maneira mais suave de pagar. O que você não deve fazer - jamais - é pechinchar preço com o médico. É deselegante, e coloca o médico numa situação desagradável. Os preços dos procedimentos variam conforme o tamanho do consultório, a localização, o número de funcionários, a experiência (ou influência acadêmica) do médico, o tipo de material que ele usa... São muitas as variáveis.
Se um consultório particular está fora do seu orçamento, procure hospitais universitários e centros de estudo e pós graduações, que fazem o trabalho de graça ou com preços populares.

8) MEDO de ter alguma complicação:
Como diz a minha mãe, "só não quebra copo, quem não lava copo". E quem lava muito copo, obviamente vai ter mais copos quebrados, por uma questão até matemática.
Todos os médicos já tiveram uma complicação na vida, poucos admitem isso. Em congressos, nas aulas sobre complicações, os slides com as infecções e queimaduras são sempre "de um colega", nunca do palestrante (é raro alguém admitir ter sido o responsável por aquilo).
Saiba que todos os procedimentos possuem um risco. Converse antes com o seu médico sobre esses riscos. Veja se vale a pena.
E caso o pior aconteça, se você tiver uma boa relação com o seu médico, confiar nele, vocês dois juntos irão superar qualquer adversidade que possa eventualmente surgir.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Tirei o vídeo!

Oi, pessoal!
Preferi tirar o vídeo da gestação do bebê anencéfalo porque achei que muitas pessoas ficaram emocionadas, e em algumas gravidinhas, o vídeo gerou uma certa ansiedade.
Longe de mim disseminar o pânico sem necessidade nas pessoas!
Só achei uma lição de vida muito bonita, um ato de amor que merecia ser compartilhado.
Eu sei que precisamos enxergar o mundo como ele é, sem as lentes cor de rosa, porque essas coisas podem acontecer com qualquer um de nós (isola!).
Por outro lado, algumas vezes eu me esqueço que as pessoas gostam de entrar aqui no blog, justamente porque ele as ajuda a enxergar o mundo com as tais lentes cor de rosa...

Lara na Sephora

Recebi essa foto da Lara e quase surtei!
#Como Assim, ela já faz comprinhas na Sephora!!!! Devia existir uma Sephora-baby!#
Bom, vou investigar que batom pink é esse que ela está usando, e o que foi exatamente que ela comprou. Quando eu descobrir, volto aqui para contar!
Muito mocinha, essa minha sobrinha!

terça-feira, 13 de março de 2012

Usei e Amei: Hidratante para os pés 3M

Este hidratante foi um presente da minha amiga/ leitora/ paciente Ana Cristina. Parece até que ela estava adivinhando, pois andei me descuidando dos pés.
Desde que comecei com aquelas andanças com o Gabriel, a sola do meu pé resolveu ficar mais grossa, inclusive com algumas (poucas) rachaduras.
Ela me disse que esse hidratante era uma maravilha e que eu deveria testar.
Foi o que fiz.
Sem nem precisar usar lixa (até porque estou sem), comecei a usar o creme e estou amando. Tem uma semana, e a pele já está visivelmente diferente. O pé não fica todo melado.
Você pode usar um filme plástico envolvendo os pés, se quiser uma hidratação mais potente.
Evite usar lixas nos pés mais do que uma vez na semana porque a lixa acaba favorecendo o engrossamento da pele a longo prazo.
Eu prefiro usa-lo durante a noite, mas colocando pouca quantidade, é possível usa-lo antes de calçar um sapato, durante o dia.
O preço é camarada! Ela pagou R$14,00 (eu vi a etiqueta de preço... #A INDISCRETA).

domingo, 11 de março de 2012

A dor de ser linda...

A primeira coisa que o paciente pergunta quando propomos um tratamento é: "Doutora, isso dói?"
(A segunda é: "Doutora, quanto custa?")
Muito natural, nós também nos perguntamos isso quando aprendemos a fazer algo de novo. Afinal, em alguns casos, a dor pode ser determinante na hora da escolha de determinados procedimentos. Afinal, o paciente precisa tolerar aquilo.

A dor é algo individual. O que pode doer horrores para um indivíduo, pode nem fazer cosquinha no outro. Nós médicos, estamos sempre tentando arrumar formas de aliviar os desconfortos de nossos pacientes. Para tudo nessa vida existe uma solução. Se muitas vezes não conseguimos eliminar completamente a dor, podemos ao menos tentar alivia-la.

Definitivamente, os meus pacientes que mais toleram a dor, são aqueles que já passaram por doenças cruéis como câncer. Tenho duas pacientes que tiveram câncer de mama e ovário, que são duas guerreiras que não sentem dor com praticamente nada. Também, depois da batalha física e psicológica do câncer, sempre penso naquele ditado que diz que o que não nos mata, nos fortalece.
Agora vou dar alguns exemplos de procedimentos e o nível de dor de cada um - na minha opinião, claro. Afinal, eu já fiz tudo isso.


Preenchimento de lábios: com toda certeza foi a coisa mais dolorosa que já fiz na vida. E, se existe reencarnação, foi a pior coisa que já fiz em todas as minhas vidas. Mas ficou tão lindo, e meu marido aprovou tanto, que fiz novamente e farei num futuro próximo. Mesmo quando se usa anestesia de dentista, ainda assim dói ( a anestesia só torna tudo suportável). E para o meu desespero, cada segundo de agonia vale a pena.

Carboxiterapia: uma das melhores invenções da humanidade, não só para a beleza como para a saúde, não poderia deixar de cobrar o seu preço em termos de dor. A dor é diretamente proporcional à velocidade do fluxo de gás. Existem situações em que esse fluxo não precisa ser tão intenso, o que torna o tratamento mais confortável. Mas em determinadas patologias, como estrias ou cicatrizes, é a velocidade do gás que determina o sucesso do tratamento.
E eu, particularmente, não vi muitas vantagens no uso do gás aquecido.


Botox: dói sim, mas não é nada do outro mundo. Bom, é uma injeção na testa, pelo amor de Deus. Claro que a pessoa sente alguma coisa. Mas quando uso anestesia tópica, isso me alivia bastante. Dá para encarar tranquilamente.

Depilação à laser: a pessoa sente uma fisgada quente onde existem pêlos. Honestamente, quando a depiladora arranca 10 cm de pêlos de uma vez só, algumas vezes levando a nossa pele junto, acho que dói mil vezes mais. Nesse caso da depilação à laser, a aplicação de gêlo (antes, durante e depois) faz toda a diferença do mundo (já comentei isso aqui no blog). Chato é quando a pessoa sente desconforto com o próprio gêlo. Nesses casos, eu dou o gêlo para o próprio paciente aplicar, ao menos nos segundos iniciais. Ajuda muito.

Peelings de ácido salicílico, glicólico ou Jessner: aqui a sensação é de que você tem várias agulhas entrando no rosto. Ele pinica, arde... Mas isso é muito pessoal. Tenho muitos pacientes que não sentem absolutamente nada e outros que pulam na maca loucos para lavarem o rosto.


Peeling de Ácido Retinóico, Cosmelan ou Melanesse: ai, que delícia, a pessoa só sente o carinho do médico na hora de passar o ácido. Depois a pessoa sente um pouco de ardência e descama, mas na hora H não sente nada.

Peeling de Cristal ou Diamante: se a esfoliação for superficial (e geralmente é), você também só sente o uma espécie de vácuo varrendo as peles mortas do seu rosto. Quando fazemos uma dermoabrasão em estrias, por exemplo, aí sim você sente ardência na hora do procedimento.

Radiofrequência: depende da máquina, mas geralmente não dói. Você sente um calor local agradável. Muitos (muitos mesmo!!!) pacientes cochilam durante a sessão, de tão relaxante que é.

E você, já fez algum procedimento? Qual? Doeu? Valeu a pena?

quinta-feira, 8 de março de 2012

Novo laser que trata... MELASMA!!!!



Sabe-se que laser e luz pulsada nunca foram as primeiras opções para se tratar melasma.
Mesmo quando as pessoas obtinham bons resultados, algumas vezes a doença retornava ainda pior.
Nos próximos meses, vocês verão nas revistas a chegada de um novo equipamento que foi desenvolvido especialmente para tratar melasma. A diferença dessa tecnologia para "as antigas" é o tipo de pulso, bem mais curto, o que garante a baixa agressividade do equipamento. Quando tratamos melasma, seja com peelings ou lasers, não devemos irritar demais a pele, porque essa resposta inflamatória pode piorar o problema.
As sofredoras de melasmo podem comemorar!
Ah! E dizem que o laser ajuda a remover tatuagens sem causar cicatrizes!
Leia mais sobre a novidade aqui.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Meus lenços preferidos!


Depois que escrevi o post sobre reaplicar o protetor solar estando maquiada, começaram a pipocar as perguntas sobre qual seria minha marca preferida de lenços umedecidos.
Confesso que não sou fiel a nenhuma marca, até porque a minha pele (e a sua também) não é imutável.
De acordo com a estação do ano, dos cremes que uso, das viagens que realizo (ou não) e dos procedimentos que faço, minha escolha varia entre diversos produtos.

Por exemplo.
Quando preciso comprar algo no Brasil e minha pele está sensível, uso muito o Kleenex Aqua. A desvantagem dele é que não é tão simples de encontrar nas farmácias. O bom é o preço e o frescor.

Quando viajo gosto de comprar o Revitalift da Loreal, não que ele ajude na sustentação da pele como os cremes da marca, mas acho que ele é bastante efetivo na hora da limpeza.

Quando estou sem usar isotretinoína oral e minha pele fica mais oleosa, adoro usar os lenços da Neutrogena, daquela linha Visibly Clear, ainda não disponíveis no Brasil.

Para retirar maquiagem, eu uso os lenços da Bioderma, da linha Créaline. Se é bom para as modelos, quem sou eu pra discutir?

O último que eu comprei, lá na drogaria Venâncio (eu piro na Venâncio), são esses lencinhos Borjois. Admito que comprei mais por conta da cor da embalagem, que achei muito mulherzinha, pois não curto muito os produtos dessa marca. Mas não me decepcionei, eles são bem legais.

Já usei os da Nívea, mas não me adaptei ao cheiro, que é a marca registrada deles e uma vez comprei uns da Olay em Buenos Aires, mas os lenços eram secos. Não entendi nada. Detestei.

Excessos!




Escrito por Carlos Hilsdorf:

"Embora as pessoas reclamem com imensa frequência daquilo que não possuem, existe outra questão que merece toda a nossa atenção: aquilo que possuímos em excesso.

Aliás , os excessos costumam ser mais prejudiciais que as faltas, mas demoram mais para serem percebidos. As faltas nós notamos imediatamente, os excessos só quando despertam a nossa consciência.

Comemos em excesso (observe você mesmo), trabalhamos em excesso (anda cansado, não é?), guardamos coisas em excesso (dê uma olhada em suas gavetas), nos importamos em excesso com a opinião dos outros... Há um excesso de preocupações e acúmulo de “gorduras” em diversas áreas de nossas vidas.

Em geral, possuímos mais do que necessitamos para ser feliz, mas continuamos insistindo na desculpa de que não somos felizes porque nos falta alguma coisa. E de fato falta: falta assumirmos um estilo de vida mais franco, sincero e liberto.

Tudo o que temos em excesso demanda tempo e energia para ser administrado. Roupas demais, CDs demais, bagunça demais, lembranças demais (fique com as que valem a pena, pelo aprendizado ou felicidade que trouxeram), compromissos demais, pressa demais.

Todos nos beneficiaremos com a prática de determinado nível de minimalismo (sem excessos, porque isso também pode ser demais). Podemos reinventar nossa maneira de viver para viver com o necessário. Não precisa ser o mínimo necessário, pode haver algumas sobras, mas sem os exageros de costume.

Viver melhor com menos. Isso traz uma sensação de leveza e felicidade tão maravilhosa que todos devemos, ao menos, experimentar. Na melhor das hipóteses, aprendemos e adotamos um novo estilo de vida.

Quem está em processo de mudança, reconhece rápido o quanto acumulou de coisas em excesso, e aprende que pode viver tão bem, ou melhor, com muito menos!

Se vamos acampar, somos felizes apenas com uma mochila...

Liberte-se dos excessos de todo o tipo: excesso de informação (aliás, muita coisa é só ruído, nem mereceria sua atenção); excesso de produtos e serviços (consumismo é uma válvula de escape para não olharmos para nossa própria existência e para o vazio que buscamos inutilmente preencher com compras); excesso de relacionamentos (nem todos valem a pena, não é verdade?). Viva mais com menos, experimente algum nível de minimalismo. Permita-se sentir-se livre dos acúmulos e excessos.

Nada é mais gratificante que a liberdade, a sensação de que você se basta sem precisar de um arsenal de coisas, sons e cores a seu redor. Dedique-se a experimentar essa libertadora sensação. Quem sabe viver com pouco, sempre saberá viver em quaisquer situações, mas aqueles que só sabem viver com muito, nas mínimas provações e ausências sofrem e se desesperam. Esses últimos se confundiram com seus excessos... e na falta deles, não se reconhecem.

Nunca sabemos se viveremos com o que temos, com mais ou menos no dia de amanhã, mas se aprendermos a viver com o que é essencial, viveremos sempre bem.

Todo excesso é energia acumulada em local inapropriado, estagnando o fluxo da vida. Excesso de excessos corresponde à falta de si mesmo. E se o que te falta é você, nada poderá preencher esse vazio..."

terça-feira, 6 de março de 2012

Dificuldades para encontrar o Roacutan?

Está complicado mesmo!
Recebi um e-mail da Roche avisando que temporariamente haverá falta de Roacutan nas farmácias, mas que em Maio estará tudo normalizado para as duas apresentações (10 e 20 mg).
Portanto, se você está com a receita de seu médico, não perca tempo esperando a caixa antiga terminar para comprar o próximo.
Outra opção é comprar o genérico, que tem dado ótimos resultados nos nossos pacientes, além de ser mais barato. Converse com o seu médico sobre essa opção.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Como reaplicar o protetor estando maquiada ???


Dúvida da Mariana:
"Tenho uma dúvida de ordem prática! De manhã antes de sair de casa passo sempre protetor solar e por cima a maquiagem. Sei que devemos reaplciar o protetor ao longo do dia, mas estando maquiada como faço??"

RESPOSTA:
Oi, Mariana!
Obrigada pela sua pergunta.
A resposta depende de como você passa seu dia. Se trabalha ou estuda o dia inteiro dentro de um lugar fechado, basta aplicar um pó facial com FPS alto.
Mas, se precisar se expôr ao sol por qualquer motivo, aí sim, é necessário retirar toda a maquiagem e reaplicar o protetor solar. Uma dica, caso precise realizar essa operação chata, é não retirar a maquiagem dos olhos, que é a que dá mais trabalho para refazer. Você também pode levar na bolsa lenços umedecidos, que ajudam a retirar a maquiagem, sem nem precisar molhar o rosto na pia do banheiro.
Na foto, algumas sugestões de pós faciais com FPS. O Heliocare é o meu preferido, embora não seja propriamente um pó.

domingo, 4 de março de 2012

La Générale de Pharmacie (rota alternativa para comprar cosméticos em Paris)


Conheci essa farmácia pelo Conexão Paris, e venho até aqui dividi-la com vocês, porque certamente este endereço já está devidamente anotado na minha agendinha de viagens, para comprar dúzias, toneladas de cosméticos, quando eu estiver em Paris.

Ao contrário daquela farmácia que todo mundo conhece na Rue du Four (número 26), esta não fica tão lotada e vende frascos maiores (e econômicos), bem como embalagens contendo dois ou três frascos do produto. Estou super empolgada e quando eu estiver lá, vou tentar tirar umas fotos para vocês.

Endereço: 58, Rue Saint Placide (aliás, reza a lenda, que nessa rua tem outras coisas interessantes para se comprar, como por exemplo, roupas de criança no número 35, onde existe uma Petit Bateau)

Quem somos nós:

Minha foto
minhapele@ig.com.br, Rio de Janeiro, Brazil
Uma médica que ama dermatologia, medicina estética, e principalmente, ADORA o que faz. Um cirurgião plástico apaixonado pela profissão.

Siga "Minha Pele" no seu e-mail...

Acompanham este blog:

Onde você está???