segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Casamento da Lu - Parte 2 (dicas diversas)

A seguir, a segunda parte das particularidades do meu casamento, a pedido das leitoras-noivas de 2011!
Não sei porque, mas essa primeira foto só está saindo assim, toda torta. Engraçado que, no meu computador, ela está na horizontal. Enfim...

1) DAMAS: Eu tive 10, com idades que variavam entre 2 e 11 anos. Somente uma amarelou na hora H e não entrou. Eu fiz muita questão de ter muitas crianças no altar, porque acho que elas dão muita vida ao casamento. Foi muito difícil encontrar um vestido que caísse bem em meninas com idades tão discrepantes. As lojas que alugam vestidos não costumam ter 10 modelos iguais disponíveis, então precisamos mandar fazer.
Quando os vestidos ficaram prontos e chegaram na casa da minha mãe, o local ficou parecendo um barracão de escola de samba.

Eu só recomendo que você tenha tantas damas, se encontrar uma costureira de confiança. E prepare-se para ficar dando mil telefonemas marcando provas de roupas e coisas do gênero.
No final dá tudo certo, mas é preciso ter paciência.

2) GRINALDAS: Isso mesmo, grinaldas no plural. Usei duas. Ao mesmo tempo. Eu explico. Calma.
O fato é que comprei minha grinalda pela Internet, de um site gringo ( http://www.everafterbridalboutique.net, o mesmo em que comprei meu vestido), e quando a grinalda chegou, achei-a meio apagadinha, meio pequena, quase sumia na minha cabeça. Esse tipo de coisa precisa ser experimentada antes, para evitar decepções.

Bom, a grinalda chegou, eu estava insatisfeita, daí resolvi comprar outra, em uma feira de noivas. Mas não consegui achar nada com pérolas, como a grinalda da Internet.
Daí minha mãe, segurando cada uma em uma mão... JUNTOU AS DUAS! Elas se encaixavam perfeitamente, como num quebra-cabeça! Para que não saíssem do lugar, ela costurou as duas com um fio de nailon e prontinho! Consegui minha grinalda brilhosa e com pérolas!

3) FLORES E SAÍDA DA IGREJA: A igreja em que me casei era toda branca, então resolvi enfeitar tudo com flores multi-coloridas, de vários tipos diferentes. Nada tenho contra rosas, mas acho que elas transmitem muita formalidade ao casamento.
Pena que vocês não estavam lá pra ver (se eu tivesse blog na época, juro que convidaria todos os leitores pelo menos para comparecer à igreja), mas o ambiente ficou lindo e super alegre.

Na saída dos noivos, fomos vetados de fazer a tal da chuva de arroz (e sinceramente, deve cair arroz nos lugares mais inusitados do nosso corpo), então optei por comprar bolinhas de sabão, cujo recipiente era um bolinho de noiva. Ficou uma graça! Quando os convidados entravam, recebiam o embrulhinho da cerimonialista.

As madrinhas receberam um lenço envolvido dentro de um cartão, que simulava um vestido de noiva. Dentro do cartão estava escrito: " Este lenço é para você secar as suas lágrimas de alegria, quando me vir entrar na igreja vestida de noiva".
Isso tudo eu comprei neste site: http://www.myweddingfavors.com


4) MESA DE CAFÉ, CHÁ E CHOCOLATE: mandei personalizar esses saquinhos de chá. O laço dourado foi idéia da minha mãe. Pena que, quem não bebe chá, nem deve ter reparado neste detalhe.
O site onde eu encomendei foi o mesmo dos lenços e da bolha de sabão. Mas como eu casei em 2006, é possível que vocês encontrem coisas diferentes.

5) VÉU E VESTIDO: Eu acho que o véu faz a noiva. Véu tem um mistério, sem contar que dá uma iluminada em qualquer visual. Eu acho que toda noiva deveria considerar usar véu em seu casamento, mesmo os mais informais. Hoje em dia, existem véus de diferentes tamanhos. Eles podem chegar até os ombros, cotovelos, dedos das mãos, quadris, pés ou arrastar um pouco no chão (catedral).

Na dúvida, eu optei por usar dois comprimentos. Um beeeeem longo na igreja, e outro curtinho na festa. Eu acho que nem se deve usar véu dentro da festa, mas sinceramente? Esperei 27 anos por esse dia. Usei o dito cujo do véu durante todos os segundos possíveis. Os véus foram comprados no site: http://www.weddingveil.com

O vestido era da marca Saint Patrick, chama-se Damero e eu consegui experimenta-lo no Brasil através do Pronovias. Porém, consultando a Internet, descobri que comprar o mesmo vestido no exterior, sairia a metade do preço de aluga-lo no Brasil.
(nem sei se ainda existe Pronovias no Brasil, mas existia na minha época)
Comprei o vestido no mesmo site da grinalda.




sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Depilação a laser nos homens


É fato: os homens estão se rendendo ao laser! Eu já trabalho com o light sheer há muito tempo e posso afirmar que hoje eles são uma parcela de 20 a 30% dos meus pacientes de laser.
Os motivos variam: alguns fazem para agradar a esposa, outros porque acham higiênico, outros para se livrar da obrigação de fazer a barba diariamente, e tem aqueles que acham bonito e ponto final.

Em relação às mulheres, as opiniões se dividem quando se trata de depilação masculina, independente do método.
Pessoalmente, eu acho que cada caso é um caso.

Por exemplo, meu marido. Eu tirei a barba dele com o laser. Mas a barba dele pedia isso. Parecia a conhecida barba de vagabundo, com os pêlos crescendo em diferentes direções, sem contar que era totalmente falhada e cheia de foliculite. Resultado: ainda que ele gostasse de usar barba (não era o caso), jamais teria uma barba potentosa, de pirata, como a do Rodrigão do BBB11.

Eu tenho um paciente masculino que deseja tirar todos os pêlos do corpo porque faz natação e não tem mais paciência de ficar se raspando inteiro quase todos os dias. Ele me dá um trabalhão, mas está muito satisfeito com o resultado, parece que passou por Chernobyl e ficou todo despelado.

Não vou me demorar contando a particularidade de cada homem que me procura, mas vou contar aqui algumas sutilezas relacionadas à depilação a laser em homens.

1) É fato, os homens sentem mais dor que as mulheres nesse procedimento, e isso nada está relacionado com a coragem da mulherada. É que os pêlos dos homens são mais grossos e numerosos, absorvem muito mais a energia do laser, e consequentemente o procedimento dói mais.
Muitos homens precisam usar inclusive pomadas anestésicas (nas mulheres, eu reservo a pomada anestésica somente para a virilha), além de uma poderosa aplicação de gêlo (na minha opinião, o gêlo ajuda muito mais do que a pomada). Conheço médicos que precisaram fazer anestesia local para o indivíduo suportar a sessão.

2) Por outro lado, embora haja mais dor, os homens têm um benefício que as mulheres não desfrutam quando fazem laser na face. Sim, aposto que a mulherada já estava até rindo e pensando "bem feito, se deram mal nessa!". Mas reparem bem, pensem comigo. Se o laser aquece mais a raíz dos pêlos dos homens, qual outro benefício eles ganham com isso?

Rejuvenescimento. É quase como se eles fizessem uma sessão de Thermacool. O calor do laser aquece o colágeno e provoca uma contração deste. Dessa forma, além de se livrar dos pêlos desagradáveis, os homens ainda ganham uma pele mais firme.

3) Um aspecto chato em relação ao sexo masculino é a maior quantidade de testosterona circulando no corpo. A testosterona induz o crescimento de pêlos no corpo. Dessa forma, os homens necessitam de mais sessões do que as mulheres para completar o tratamento (geralmente o dobro). E após a alta, precisam de mais sessões de manutenção, pois há mais crescimento de folículos novos do que no sexo feminino.

4) Uma coisa que precisa ficar clara é que não existe mesmo esse negócio de depilação definitiva. Ok, os pêlos que morreram, que fizeram a passagem desta pra melhor, de fato, estes não voltam mais. Mas a pele é um órgão que forma folículos novos e a manutenção existe para liquidar justamente esses folículos novos.

5) Os homens ficam com a pele mais irritada no pós laser do que as mulheres. Meu marido, por exemplo, ficava vermelho como um pimentão, e só sentia alívio colocando o rosto em frente ao ar condicionado do carro, quando saía do consultório.

6) Os homens são ótimos pacientes: ao contrário do que eu imaginava, reclamam pouco de dor (também com a quantidade de gêlo que eu coloco...), estão sempre animados e muitos se preocupam em agradar. Eu tenho um paciente que sempre leva jujubas para todo mundo no consultório. Não preciso nem dizer que ele é tratado a pão-de-ló.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Como trocar o pneu do carro

Hoje à noite, após toda aquela chuva, voltando para casa, adivinhem! O pneu do meu carro furou. Tinha poça pra tudo quanto era lado, e me deu um frio na espinha, porque eu nunca tinha trocado um pneu.
Daí pensei que, nós mulheres, deveríamos aprender a trocar um pneu, pois depender de outras pessoas é sempre muito desagradável. As auto-escolas deveriam fazer aulas práticas desse assunto, pois nunca se sabe quando isso pode acontecer em um lugar deserto, sem nenhum "homem" para ajudar.
Eu, graças a Deus, tive ajuda do meu pai, pois isso aconteceu perto da casa dele. Mas eu poderia estar em qualquer lugar do Rio de Janeiro, e se tivesse sido o caso, teria me sentindo totalmente desamparada.
Então, no momento, estou vendo vários vídeos no You Tube para aprender a fazer isso sozinha. Adoro quando um homem cavalheiro se oferece para me ajudar, gentileza não sai de moda nunca. Mas a dependência me incomoda um pouco. Agora vou tentar mudar isso.


segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Irritando Luciana: "Livros"

Podem ficar tranquilos, a gravidez não afetou a minha mente. Eu continuo AMANDO os meus queridos livros. Mas nem por isso o assunto deixa de ser um pouco irritante. Eu explico.

Quando a pessoa é alucinada por leitura, como eu, costuma procurar lançamentos nas livrarias pelo menos uma vez por semana (a quem estou tentando enganar? Eu vou pelo menos umas três vezes à procura de novidade), e nem sempre temos sucesso.

É uma frustração muito grande não encontrar nada que valha a pena ser lido. Eu me sinto como uma viciada tentando comprar drogas na favela do alemão, ou seja, saio de mãos abanando. Na maioria das vezes.

Pior do que esperar um livro novinho em folha de um autor predileto, é acompanhar alguma "série", estilo Crepúsculo. Aí é uma danação só. Juro que algumas vezes eu perco até o sono. Hoje em dia estou mais escolada e só começo a ler livros de séries depois que uns 2 ou 3 já foram publicados.

Mais chato ainda é perceber que aquele autor querido possui vários títulos publicados no exterior que nunca serão publicados por aqui no Brasil. E eu morro de preguiça de ler livros em inglês.

Outra coisa que precisa mudar urgente é o preço abusivo de livros no Brasil. Alguma coisa precisa ser feita para permitir que a população tenha um acesso mais fácil à leitura, já que não temos uma grande quantidade de bibliotecas públicas a disposição do povo.

Precisa mesmo ser uma coisa tão cara? Será que as editoras não podem considerar a hipótese de lançar livros com o papel mais barato, uma encadernação menos dispendiosa para tentar diminuir o preço final das publicações? Ok, já temos uma pequena mudança ocorrendo, já existem os livros Best Bolso e Pocket, mas a quantidade de títulos é ínfima, convenhamos.


E quando a pessoa dá a sorte de encontrar um livro que promete, ao terminar a leitura esse livro precisa ir para algum lugar. Geralmente, a estante. Onde eles se acumulam, proliferam, encalham.

Bem, não no meu caso. De vez em quando, como vocês sabem, eu procuro esquecer livros nos lugares onde passo. Alguns eu deixo guardados debaixo da cama do meu consultório e costumo oferecer aos pacientes, quando penso que determinada pessoa poderia se beneficiar de determinado livro específico (juro por Deus, tem gente que precisa de livros e não só de remédios).

Ou então eu troco de livros com amigos. Só não posso deixar que eles se acumulem nas estantes, porque além da casa ficar feia, vamos encarar, chega a ser um pecado.

Mas uma coisa que me chateia é emprestar um livro e nunca mais tornar a me encontrar com ele. Se eu não te dei um livro, só emprestei, isso significa que vou quere-lo de volta! Caramba! Porque tantas pessoas se esquecem desse detalhe? Atualmente, se eu sinto muito ciúme de um livro, já decidi que não empresto mais.

Outra situação delicada é receber o livro de volta, porem em péssimas condições como a foto abaixo ilustra bem o caso:


O livro "estuprado" é um livro caríssimo de dermatologia. Emprestei para uma amiga estudar. Como tenho o maior carinho por ele, enfeitei com flores e colei uma foto minha com o autor já falecido, do referido livro.

A "abençoada" resolveu descer a serra de Teresópolis com o livro no banco traseiro, embaixo de uma panela de ensopadinho. Ao lado do livro, estava seu bichinho de estimação, um furão. Ao entrar numa curva, a panela escorregou e esmagou o bichinho, deixando no meu livro um rastro eterno de comida misturada com sangue.


O que fazer numa situação desgraçada dessas? Comprar um livro novinho, imediatamente para a pessoa! É por essas e outras que eu nunca peço um livro muito caro ou muito raro emprestado. Imprevistos acontecem.

Pior é que meus livros ssão todos enfeitadinhos, como vocês podem ver na foto abaixo. Eu gosto de rabiscar, colorir, fazer anotações, colar post its, tudo para deixar aquela leitura com a minha cara. Então, ainda que ela me desse outro livro, nunca mais a essência seria a mesma, e isso é muito irritante!
Ela matou o meu livro!

Outro hábito que tenho, é o de escrever, além do meu nome e da data em que foi comprado, as circunstâncias que me levaram a comprar aquele determinado livro. Ou então alguma piadinha, que só eu entendo. Exemplo:

"Luciana Leal / Março de 1998 / Estou chateada porque precisei fazer um exame de sangue e comprei esse livro como prêmio pela minha coragem"

Ou então o que escrevi no livro Cleopatra, a Filha de Ísis:
"Luciana Leal, a tataraneta de Ísis, Maio de 2001"

É divertido, ao reler o livro anos mais tarde, lembrar dessas bobeirinhas (claro que já passei por alguns constrangimentos por conta dessa mania).

sábado, 15 de janeiro de 2011

Meus protetores preferidos para o verão de 2011!!!



Bom, eu tenho ficado muito em casa e não estou aproveitando essa fase de férias, mas acredito que vocês estejam se esbaldando pelo mundo a fora!

E não, não vou deixar minhas leitoras (e leitores) terminarem o verão com a pele toda detonada!

Pensando em vocês, resolvi compartilhar meus protetores preferidos para o verão, mas não basta compra-los! Tem que reaplicar, fugir dos horários de pico, usar roupas com proteção UV, chapéus, óculos escuros... enfim, toda aquela ladainha que eu repito a cada ano aqui no blog.
Esses protetores são ideais para passeios ao ar livre (praia, caminhadas, piqueniques...).

Bom, o Photoderm Max é a minha escolha para quem tem a pele muito sensível ou sofre de melasma. Eu prefiro o que tem cor de base (o tinto). Fujam do Tinto Light, pois ele deixa 95% das pessoas com cara de fantasma, não fica bem nem nas pessoas mais branquinhas. Algumas farmácias vendem esse Tinto Light "por engano", porque ele tem se acumulado no estoque.
O Photoderm Max estava sendo vendido por R$49,00 na drogaria Venâncio. Não sei se esse preço permanece porque, como vocês sabem, estou em prisão domiciliar, pouco tenho passeado pelas farmácias.

O Minesol 70 tem uma cosmética muito boa e eu o recomendo para pessoas jovens sem muita tendência a manchar. Ele pode ser usado inclusive diariamente. Existe o 30, que eu recomendo que seja usado mais nos meses de inverno. O preço dele é bom, geralmente se encontra na faixa dos cinquenta ou sessenta reais, dependendo da farmácia.

O Heliocare Gel eu recomendo para a maioria dos tipos de pele brasileiras, jovens e maduras. Ele é leve, com um cheiro maravilhoso (se bem que, gosto é uma coisa meio pessoal) e segura bem mesmo as peles com tendência a manchar (se bem que esse risco nunca pode ser completamente afastado). De negativo aqui, só o preço.

O Ansolar 70 é legal para aquelas pessoas que buscam uma proteção adequada para a pele do corpo. Como ele espalha super fácil, acaba sendo uma opção econômica e interessante para as pessoas preguiçosas como eu. Quer coisa mais chata do que espalhar protetor solar?
Aqui não tem a foto, mas os homens ADORAM o protetor da Neutrogena em spray, porque ele não fica grudando nos pelos do braço e peito. Alem disso, é super prático e geladinho.

E tem o Isdim 90, que é a minha segunda opção para quem não pode ou não consegue usar o Photoderm Max (em alguns lugares é difícil encontrar o Photoderm Max).

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Notícias!


Olá, queridos e queridas!

Como foram de festas? E de férias? Curtiram bastante? Eu já estou com saudades de escrever aqui no blog e tenho algumas novidades para contar.

Pra começar... não viajei. Pra ser mais exata, nem pude sair de cima da cama durante alguns dias (tenebrosos). Acontece que, faltando uma semana para as minhas merecidas férias, o Gabriel resolveu me dar um susto e precisamos cancelar tudo. Tu-do. Passagens, hotéis, espetáculos, até o tão esperado UFC (ainda bem que nesse ano teremos um UFC no Brasil).

Sei que vocês estavam esperando que eu retornasse fervilhando de novidades gringas, compras, dicas quentes, mas reparem na ironia do destino: nem na drogaria da esquina eu pude passear (sim, porque ir à farmácia, para mim, é passeio).


No momento, a prioridade é a vidinha do Gabriel, que para nós, é muito mais importante do que qualquer viagem. E compras. Não que abdicar dessas coisas seja fácil. Mesmo que temporariamente.

No momento, estamos todos muito bem e eu já voltei a trabalhar. Estou aproveitando cada minuto de liberdade para resolver logo os detalhes do quartinho, porque nunca se sabe quando irão me colocar de castigo novamente.

Aos pouquinhos, voltarei a escrever no blog, só estou deixando esse recadinho porque estou com muitas saudades mesmo de todos vocês.

Para terminar, uma notícia boa: o Minha Pele é Melhor que a Sua saiu na revista Lunna, página 62. A reportagem ficou bem bonitinha.

E que venha 2011!!!

Quem somos nós:

Minha foto
minhapele@ig.com.br, Rio de Janeiro, Brazil
Uma médica que ama dermatologia, medicina estética, e principalmente, ADORA o que faz. Um cirurgião plástico apaixonado pela profissão.

Siga "Minha Pele" no seu e-mail...

Acompanham este blog:

Onde você está???