sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Como é o médico dos seus sonhos?


Estou querendo perguntar isso para vocês há séculos! Não estou me referindo somente à dermatologia e medicina estética. Eu me refiro a todas as especialidades médicas: ginecologistas, clínicos gerais, endocrinologistas, etc.

As perguntas que não querem calar:

(podem escrever como anônimos, não vou me importar)

1) Preferem um médico divertido estilo Patch Adams ou um sério estilo Cid Moreira?
2) Preferem consultas vapt-vupt (onde você resolve logo o seu problema e não perde muito tempo) ou consultas demoradas, onde o médico te vira pelo avesso ?
(pergunto isso porque quando faço um exame físico completo nos meus pacientes, sempre escuto a pergunta "ué, mas você não faz dermatologia?")
3) Preferem um consultório estiloso, com cafézinho, água, chocolatinhos ou se tiver somente um bebedouro já está bom pra você?
4) Você tem algum médico de confiança da família? O que ele faz para merecer essa confiança?
5) Você tem o hábito de querer uma segunda ou terceira opinião? Quando o faz (até eu, que sou médica, já fiz isso. Só não é um hábito.), você conta para o segundo ou terceiro médico que já pediu a opinião de outro?
6) Se existisse o médico dos seus sonhos, como ele seria? Como ele agiria com você?
(não vale dizer: a inteligência do House com o corpo do Jacob black e a diversão do Patch Adams)
7) Médicos que telefonam para pacientes, na sua opinião, são irritantes ou importantes? A ligação te deixa feliz ou de saco cheio? (do tipo, "ai, lá vem o chato perguntar se eu já fiz o exame!")
8) Se o seu médico tivesse uma letra linda, você prefereria que sua receita fosse escrita à mão ou impressa pelo computador?
9) Quando algum funcionário que trabalha no consultório de seu médico, lhe atende mal, você conta para o médico?
10) Você escolhe seu médico pelo sexo? Exemplo: só vai em ginecologista homem ou em dermatologista mulher?
11) Quando visita um médico novo, geralmente vai por indicação ou porque viu o nome dele no jornal ou no livro do convênio?
12) Você tem o telefone residencial do seu médico?
13) Você tem intimidade para discutir valores de medicamentos ou procedimentos com o seu médico?
14) Se tiver algo relevante a dizer que eu não tenha erguntado, fique à Vontade!

Coquetel de Lançamento da Le Lis Blanc HOJE!!!


Uma observação venenosa aqui: repararam no horário do coquetel? Parece horário de trem na Europa. Se a moda pega, hein? Imaginem se eu começo a marcar minhas consultas dessa maneira!
Visualizem minha secretária dizendo: "Bem, Sra. Fulana, então seu Botox está marcado para o dia 29 de Janeiro, às 15:53. Ah, a senhora também deseja fazer preenchimento no mesmo dia? Que sorte, temos um horário no mesmo dia às 17:21. Aguardaremos a senhora!".

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Asfalto X Areia


A maioria das pessoas sofredoras com a pele oleosa conhecem e amam o tão consagrado Minesol Actif FPS 30, e estão acostumadas a usa-lo diariamente (ou pelo menos deveriam estar). Dificialmente uma pessoa não gosta desse protetor.
O que muitos não sabem é que existe a versão do Minesol Actif com FPS 60, ideal para os dias de praia e piscina. Lembrem-se de reaplicar o protetor a cada 2 horas e a cada mergulho. Se estiver fora da água, porem suando em bicas, pode passar novamente.
Se as mulheres resolverem desfilar com as pernocas de fora, saibam de um dado alarmante: a área anatômica do sexo feminino com maior incidência de câncer são as pernas. Isso porque usamos e abusamos de saias, shorts e vestidos curtos (à lá Geise). Mas ninguem vai virar uma freira por causa disso, basta não esquecer de passar o protetor nessa área.
Nos homens, a área preocupante (e que nós adoramos) é a região dorsal (as costas), devido ao hábito de andar sem camisa. Por isso, proteja o seu macho: passe protetor nas costas dele antes de saírem para caminhar na Lagoa. Se passar direitinho, pode ser até que vocês resolvam ficar em casa...

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Dinheiro boomerang: vai e volta! (ou como usar o tax free na Europa)

$$$$ é bom e todo mundo gosta!


Se eu tivesse lido este post antes da viagem, teria tido menos dor-de-cabeça. Acontece que nas minhas outras viagens à Europa, eu estava munida de pai e mãe. Logo, não precisava me preocupar com dinheiro, reembolsos, notas fiscais, envelopes e etc.
O fato é que turistas não residentes na União Européia possuem direito à restituição de uma mísera fração paga pela mercadoria, o tal do IVA (Imposto sobre Valor Acrescentado). Existe sim, um valor mínimo que o turista precisa gastar antes de ter direito a esse benefício. Em Portugal, por exemplo, o valor é 59,36 Euros. De onde eles tiraram esse valor, eu não sei (esses 36 centavos são a coisa mais ridícula que já vi na minha vida). O valor restituído gira em torno de 20%.
E como fazer para ter a grana de volta? Fácil, fácil.
1) Faça a compra. Essa é a melhor parte. Quando estiver pagando, faça uma carinha de simpatia e peça o tax free. Nessa hora, a alegria de seu atendente vai por água abaixo porque ele vai precisar preencher um formulário extenso. Depois vai grampear nele a sua nota fiscal e vai colocar tudo dentro de um envelope lindinho. NÃO PERCA ESSE ENVELOPE. E lembre-se de andar com o número de seu passaporte (você vai precisar sempre desse número) anotado naquele seu caderninho de viagens, já comentado aqui no blog. Não fique andando com o seu passaporte pra cá e pra lá, porque se você for assaltado (isola!) vai ter uma trabalheira danada.
2) Ao chegar no hotel, guarde o tal do envelope em uma pastinha, que você já terá trazido do Brasil, porque é muito organizado. Se largar o envelope no meio das compras, vai perde-lo. Certamente.
3) Na hora de arrumar as malas para ir embora, separe todas as mercadorias numa bolsa de fácil acesso, porque será solicitado que você mostre suas comprinhas ao fiscal que vai carimbar suas notas. Nessa hora, invariavelmente você se sentirá um pouco muambeiro. Adoro me sentir assim.
4) Bom, então você separou os envelopes numa pastinha e deixou a mercadoria separada num compartimento prático. Ok. Perceba que você tem dois tipos de envelopes dentro da sua pastinha:
Em um estará escrito "Premier Tax Free" e no outro "Global Refund". Para agilizar ainda mais seus trâmites alfandegários separe todas as notas fiscais de cada uma dessas empresas. Pronto, agora você só tem dois envelopes, cada um com suas notas.
Agora pode ir para o aeroporto.
5) Chegando ao aeroporto, faça o check-in, mas NÃO despache a mala que contém as suas mercadorias. é obrigado fazer o check in antes de ir ao posto onde você receberá o carimbo para ter seu dinheiro de volta. Logicamente, as letras onde essas informações estão escritas são mínimas.
6) Após o Check-in, dirija-se ao local onde deverá apresentar suas mercadorias para receber o tal carimbo. Cada aeroporto tem o seu posto, é só ver no envelope. E, claro, o aeroporto precisa ser o seu destino final na Europa.
7) Após mostrar as compras e pegar o carimbo, você já pode despachar as suas malas. Existe uma esteira especial para que isso seja feito sem você precisar voltar na fila do check-in. Como a sua mala já está com aquele adesivo do check-in, basta que você mesmo coloque a mala na tal esteira. E torça para que ela não vá parar no Canadá. Dá um certo desespero ver a sua mala sumindo em direção ao "nada" na esteira.
8) Agora sim, se o seu avião já não estiver decolando, é que você pode se dirigir à terceira fila para ser restituído, em outro posto. Lá você poderá escolher a forma que pretende receber sua grana: por cartão, em cash ou em cheque. Por tudo isso, você deve chegar cedo no aeroporto. Eu não confio nem em transfer, como já sabia que ia me embananar toda, peguei um taxi, cheguei ultra cedo no aeroporto e consegui sobreviver pra contar à vocês.

Corrigindo....

ENCONSTE não dá, concordam?????

É ENCOSTE, lógico, mas só fui perceber o errinho tarde demais..............

Sorry!!!!

Isto é uma testa ou uma frigideira? (o que fazer quando estiver sem blotting paper)


Na semana passada uma enfermeira do hospital onde trabalho pediu que eu prescrevesse um sabonete bom para as peles oleosas. Mas tinha que ser "bom mesmo", segundo ela.
Eu achei estranho, porque as enfermeiras de lá usam as amostras grátis que ganhamos de nossos representantes, e nós só recebemos produtos ótimos. Perguntei como ela usava o sabonete.
A resposta: SEIS VEZES AO DIA!!!!
Nãoooooo!!!! Limpar a pele do rosto mais do que duas vezes ao dia pode estimular a oleosidade da pele. A coisa vira uma bola de neve (quer dizer, de sebo) e a pele cada vez fica mais oleosa, para se proteger do ressecamento intenso provocado pelo excesso de sabão.
Então ela me perguntou: "ok, mas como é que eu faço quando a pele do meu rosto estiver uma frigideira ao longo do dia?"
O ideal é usar aqueles papéis ideais para sugar a oleosidade (os blotting papers), ou quando estiver sem eles, o bom e velho papel toalha da cozinha. Aqueles papéis para enxugar as mãos também são ótimos! Esses sim, você pode usar no rosto quantas vezes precisar.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Livros de Etiqueta, Estilo e Beleza

Minha mãe ganhou um vale-presente da Livraria da Travessa e eu fiquei louca de alegria. Como acabamos sempre lendo as mesmas coisas, ela me deu a deliciosa tarefa de "torrar" o vale-presente (não durou 20 minutos na minha mão).
Essas foram as minhas escolhas. Comecei lendo (e ADORANDO) o livro da Constanza Pascolato. Estou na metade.






Não existe coisa melhor nessa vida do que ler um bom livro durante as férias! E quando a leitura acrescenta um temperinho extra na nossa maneira de se vestir, de lidar com as pessoas, de valorizar nossa beleza, o presente triplica!


domingo, 24 de janeiro de 2010

Presentes para os sobrinhos!

Claro que eu caprichei nos brinquedos! Mas algumas roupinhas que comprei para as crianças durante a viagem, também merecem destaque:


Esse vestidinho foi comprado na Áustria. A foto não mostra muito bem as rendas da blusa branca. Ele é de veludo (estou com medo que não sirva na criança quando chegar o inverno).

Ela adorou. Sentiu que o estilo da roupa é diferente das que estamos acostumados. Custou 49 euros.



Essa é a tão desejada cueca do Henrique VIII que é vendida na Torre de Londres. Existe uma calcinha da Ana Bolena (que eu gostaria de ter comprado para a Lara) mas tinha acabado e ficamos sem. O Felipe ficou tão gostoso com essa cueca...







Esse vestido eu já comprei pensando no carnaval, porque é bem fresquinho. Comprei na loja da Disney durante as liquidações. Não lembro exatamente quanto custou mas foi razoavelmente barato, no máximo uns 30 euros. Ela se sente A MOÇA com ele.




sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

"The hills are alive..." (and my skin is great)





Estou apaixonada pelas montanhas igual à Maria do filme "A Noviça Rebelde" (adoro!).
Por foto não é possível ter a noção exata da magnitude das montanhas cobertas de neve. É realmente emocionante.
E o melhor: a nossa pele fica ótima no frio! Passei a viagem toda usando somente um hidratante e minha pele estava uma seda! Se você vai passar uma temporada no frio, comemore!
Ainda vou inventar um freezer portátil para colocar meu rosto várias vezes durante o dia, principalmente nesse verão escaldante!


http://www.goear.com/listen/7d971d7/the-sound-of-music-the-sound-of-music

Inimigo oculto: como pegar micose de unha em um salão de beleza hiper sofisticado...

Quem me conhece sabe que eu de-tes-to fazer as unhas. Gosto sim, quando elas estão lindas e maravilhosas, brilhosas e saudáveis, mas sentar na cadeira do salão e ficar maia hora (no mínimo) esperando essa mágica acontecer, me deixa com uma vontade de "me mexer" incrível. Para mim é igual a um castigo ficar meia hora parada, respirando spray de cabelo, folheando revistas lambidas e escutando só Deus sabe o quê!
De modo que eu não faço as unhas toda as semanas. Por ter estudado dermatologia, ainda posso dar a desculpa de que as unhas "precisam respirar". E precisam mesmo, mas as minhas respiram mais do que seria necessário.
Dessa forma, é fácil entender que, nas raras vezes em que eu faço as unhas, escolho sempre um salão bem bonito, elegante e sofisticado. Porque estar num ambiente legal diminui um pouco o meu sofrimento. Outra coisa que diminui "meu martírio" é fazer alguma coisa nos cabelos enquanto faço as unhas, porque sinto um sono, um relaxamento... e daí eu até esqueço que tem uma manicure pendurada no meu braço.
Vamos aos fatos: estava eu pagando os meus pecados num salão bonito, elegante e sofisticado, me sentindo super segura em relação a pegar qualquer tipo de micose, por dois motivos:
1) Eu levei minha base, esmalte e extra-brilho;
2) O salão, além de oferecer todo o material esterelizado, também usa um kit com pauzinho de laranjeira e lixa novinhos, para cada cliente. Sempre cobrando cada centavo, lógico.
Momentos antes de pintar minhas unhas, sinto uma coisa molhada e encardida polindo minhas unhas. Quando olhei para as minhas mãos, vi que a manicure estava usando aquelas lixas de polir unhas na minha pessoa.
QUE NOJO!!!!!
ECA!!!
Tudo novinho, esterelizado, individualizado e a profissional estraga tudo usando esse ninho de fungos nas minhas unhas!
Fiquei com vergonha de chamar a atenção dela para esse fato, porque não queria ser a cliente chata e reclamona do dia. Mas a situação chamou minha atenção, e espero que chame a sua também, para essa sensação de falsa segurança, que os salões nos transmitem ao providenciar corretamente a maioria das ferramentas necessárias para termos as unhas lindas.
Agora, além de levar para o salão os esmaltes e afins, acabei de comprar minha lixa de polir unhas.
Por último, eu não poderia deixar de falar: gente, levem os seus esmaltes para o salão. Na boa. Já vi inúmeras manicures usando aquele esmalte vermelhão que AMAMOS para pintar verdadeiras unhas podres, até porque os esmaltes (independente da cor) escondem maravilhosamente os fungos da mulherada. Vai arriscar? Um esmalte custa tão pouquinho e dura tanto...

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Males de verão: pitiríase versicolor!


O que é?

Também vulgarmente conhecida como "micose de praia" ou "pano branco", a Pitiríase versicolor é uma micose mas, ao contrário do que se pensa, não é adquirida na praia ou piscina.
O fungo causador da doença habita a pele de todas as pessoas e, em algumas delas, é capaz de se desenvolver provocando as manchas.
Muitas vezes, a doença é percebida poucos dias após a exposição da pele ao sol, porque nas áreas da pele afetadas pela micose, a pele não se bronzeia. Com o bronzeamento da pele ao redor, ficam perceptíveis as áreas mais claras onde está a doença e a pessoa acha que pegou a micose na praia ou piscina. Entretanto, o sol apenas mostrou aonde estava a micose. Vem daí o nome "micose de praia".


Manifestações clínicas:

As áreas de pele mais oleosa, como a face, couro cabeludo, pescoço e a porção superior do tronco são as mais frequentemente atingidas.
A doença se manifesta formando manchas claras, acastanhadas ou avermelhadas que se iniciam pequenas e podem se unir formando manchas maiores.
As lesões são recobertas por fina descamação que, às vezes, só é percebida quando se estica a pele. Geralmente, a Pitiríase versicolor é assintomática, mas alguns pacientes podem apresentar coceira.


Tratamento:
A Pitiriase versicolor é uma micose que responde bem ao tratamento, que pode ser feito com medicamentos de uso via oral (comprimidos) ou local (sabonetes, xampus, locões, sprays ou cremes), dependendo do grau de comprometimento da pele.
Devido a ser causada por um fungo que habita normalmente a pele, é possível a micose voltar a aparecer, mesmo após um tratamento bem sucedido.
Em algumas pessoas, a Pitiríase versicolor pode ocorrer de forma recidivante, voltando a crescer logo após o tratamento. Estes casos exigem cuidados especiais para a prevenção do retorno da doença, cuja orientação deve ser dada pelo médico dermatologista.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Esmaltes nacionais similares aos importados:

Esta semana foi dedicada a arrumação do meu banheiro. Comprei uns potes na Tok & Stock perfeitos para arrumar meus apetrechos de unhas. Os esmaltes, mesmo os maiores, cabem em pé, mas nem por isso eles ocupam muito espaço dentro do armário. Esses potes existem na versão horizontal (onde guardei esmaltes e alicates) e versão vertical (onde estão os comprimidos). Não são baratinhos, mas são resistentes.
Durante o processo de organização dos esmaltes, reparei numa coisa interessante: Gosto não se discute, mas se repete pra caramba. Digo isso porque cheguei à conclusão de que costumo comprar cores similares quando viajo. Percebi que várias cores dos importados são parecidas com algumas marcas nacionais.
Vejam bem, não estou falando de durabilidade, potencial alergênico, nível de brilho, etc...
Esses roxos metalizados (que eu só uso durante o carnaval) são quase idênticos. O da Sephora, ao ser aplicado na unha, é levemente mais transparente que o da Colorama.

Os brancos são realmente iguais!!!

Entre esses vermelhos, o tom é o mesmo, mas o esmalte da Sephora, além de ser levemente metalizado, é específico para unhas quebradiças.


Os nude são muito parecidos, mas entre esses três eu ainda prefiro o Velvet da Mavala. Dura horrores, não me deixa com alergia...


Esses vinhos também são completamente idênticos!



Os rosas cintilantes são bem parecidos, mas o da Sephora novamente fica um pouco mais transparente que seu "primo" da Colorama. É bom para ser misturado com outros esmaltes, como um rosa opaco ou um nude.




E aqui vocês podem ver em maiores detalhes os tais potes mencionados anteriormente.
Não estou só prometendo organizar melhor a minha vida, estou tentando cumprir! Cada dia arrumo um cantinho... dessa forma não me canso!

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Usei e Amei: Meu primeiro OPI


Tenho até vergonha de dizer, mas lá vai: acreditem ou não, meu primeiro esmalte OPI foi comprado nessa última viagem à Europa.
Até então minha marca preferida era a Mavala, pelas inúmeras razões já expostas aqui no blog: seca rápido, dura bastante, não me causou alergia, tem cores lindas e como o frasco é pequeno, não pesa na mala e nem no bolso. E a Época os vende.

Eu tinha preconceito com os esmaltes OPI porque não gosto da embalagem. É "bojuda" demais na minha opinião. E o pincel é preto, triste e sem graça. Tenho um sério problema com embalagens e frascos: se não forem lindos, não me interessam.
Por esse motivo, demorei horrores para comprar meu OPI. E só comprei um (agora estou amargamente arrependida).

O fato é que esse vermelho que estou usando foi notado por quatro, QUATRO indivíduos! As pessoas nunca perguntam que cor e marca de esmalte estou usando, mas durante essa última semana eu me surpreendi. Esse vermelho é levemente alaranjado, cor de terra, sei lá. Só sei que gostaram. Que abalou Bangu. E que eu perdi a chance de comprar vários outros esmaltes OPI.

A cor dele é NL E52 (Bullish on OPI). Confuso, né? Também achei.
FATO: todos os elogios feitos ao esmalte da Mavala podem ser perfeitamente direcionados ao OPI. Menos a embalagem, que a da Mavala é mil vezes mais fofa. E o fato de ele não ser vendido pela Época (você tem que viajar ou importar).
ÉPOCA, por favor, traga OPI para a mulherada!!!

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Depois do choro... A MAQUIAGEM!!!!


Escrevo esse post super agradecida pelas palavras carinhosas de todos após o post-desabafo.
Continuação da história (com direito a final feliz):
Depois que meu marido chegou e me encontrou aos prantos encostada na árvore, iniciamos o papo (eu sempre chorando).
Expliquei para o macho que mulher precisa de primer. Precisa de um rímel que alongue e de outro que dê volume. Precisa de lápis labial, batom e gloss, e que mulher usa esses três produtos na mesma boca, na mesma hora. Precisa de um pó bronzeador, um outro matificante e de um terceiro que ilumine. E, claro, precisa de infinitas ferramentas para colocar tudo isso em ação, leia-se "pincéis de maquiagem", de preferência aos montes (claro que eu estou falando resumidamente sobre as necessidades da mulher que foram explicadas ao meu marido, coitado).
E mais, eu tenho um outro fator atenuante e que me faz consumir mais tempo dentro da Sephora: eu trabalho com beleza. Logo, é não somente recomendável, como desejável, que eu passe no mínimo umas três horas lá dentro.
De modo que após esse longo papo e um belo chocolate quente bem grossinho, tomei coragem e larguei meu marido no café, sentado perto de duas dinamarquesas, certa de que alguns minutos perto delas não seria suficientemente perigoso e arriscado para o meu casamento. Eu também sou um pouco ciumenta.
Se bem que me preocupei mesmo foram com as japonesas. Segundo meu marido, "as japonesas são muito fashion!". Eu retruquei: "É porque elas vivem na Sephora!". Ahá! Lá fui eu de volta para a Sephora, após recuperar meus eurinhos no banheiro unissex do café.
Cheguei arrasada emocionalmente na Sephora e peguei todos os kits de Smoky Eyes que encontrei pela frente. Quando passei pela MAC, procurando por um PRIMER (lá da minha lista de "necessidades básicas da mulher"), conheci o maquiador francês Jonathan, que aparece me maquiando na foto.
O Jonathan é francês, mas o pai dele é português, fato que contribuiu para o nosso papo iniciar. Papo esse que terminou numa super-maquiagem, devidamente fotografado adivinhem por quem???
Meu maridón, que pagou a conta do café, ignorou as dinamarquesas, vagou uns minutos sem rumo, e foi bisbilhotar minhas compras lá na Sephora. Bisbilhotar, não pagar. E fotografar, coisa que adorei!
Final da história: saí da Sephora maquiada, cheia de compras, de alma lavada, de bem com o marido e cheia de fotos para compartilhar com vocês.
E fica a dica do Jonathan que "atende" na MAC da Sephora do Champs-elysées, para quem comprar um Citroen e for viajar para Paris.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Época de liquidações... no mundo todo!!!


Um dos fatores que foi minando minhas forças frente as lojas, tenho que dizer, foi o apelo das liquidações que estão rolando na Europa... e aqui também!!!

Mesmo o Euro sendo mais caro que o dolar, ainda assim as coisas ficam mais baratas do que aqui no Brasil. Por exemplo.


Lembram daquele óculos Marc Jacobs com um laço de cada lado que eu estava querendo? E que custava R$1.400,00 aqui no Brasil? Pois comprei o fofo em Veneza por 275 euros e ainda recebi "de volta" 30 euros, devido ao tax free (em Veneza, eles te devolvem a grana em cash na mesma hora, em uma lojinha em frente à praça de São Marcos). Resultado: paguei 245 euros, muito menos do que teria gastado se tivesse feito essa compra aqui (viram como eu sou econômica?).


E comprei um tênis Nike leeendo em Roma por 90 euros, sendo que aqui no Brasil ele custa R$599,00. Duro vai ser colocar o tênis para ir à academia.


Da última vez que fui à Europa, os preços estavam proibitivos. Um laço de cabelo na Galeria Lafayette custava uns 100 euros. Será que foi a crise que mudou as coisas?? Hoje em dia você encontra calças compridas custando 15 euros! Nem na Renner tem calças tão baratas!

Em Londres, mesmo a libra sendo ainda mais cara que o euro, as coisas estavam até mais baratas que nos outros países visitados. Eram araras de roupas com cartazes escritos: tudo a 10 libras, tudo a 20 libras... Uma amiga comprou um casaco de couro que originalmente custava 200 libras, por 20!!! O preço da etiqueta ia abaixando, sabe? Até pensamos que a etiqueta poderia ter sido trocada.


Mesmo em liquidação, Paris lidera como um dos lugares menos acessíveis em termos de preços. Um lápis jumbo labial Sephora que custa $5 nos EUA e em média 4,50 euros na Itália, estava custando 10,40 em Paris (mesmo em Paris, os preços transformados em reais são parecidos com os da loja Contém 1g). Engraçado que no site da Sephora na França, esses lápis estão custando 2 euros, na promoção (essa eu perdi!Ódio!).


E no Brasil, gente? Vou dizer uma coisa para vocês: não sou muito fã dessas liquidações estilo "Lápis vermelho", etc, porque dificilmente encontro algo realmente barato e maravilhoso. Tem que garimpar muito. E garimpar num calor de 40 graus e num shopping lotado não faz o meu estilo. Mas adoro as liquidações da Zara e da MNG. Até porque, consigo comprar em paz, mesmo pegando uma fila eventual para pagar.


Quem tiver tempo, vale a pena dar um pulinho na MNG da Visconde de Pirajá. Aproveitem que agora tem metrô em Ipanema. A distância do metrô até a MNG é de três quarteirões. Ontem eu comprei uma blusa que custava R$99,00 pagando somente R$14,00. E quase em frente à MNG abriram uma loja chamada "Brechó Chic", onde o produto mais caro custa R$49,00, segundo a placa na porta (ainda não entrei lá, por isso não posso afirmar se essa informação realmente procede).


Não quero nem pensar nas liquidações que devem estar acontecendo nos Estados Unidos para não me deprimir!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Voltei firme e forte!!!

Finalmente estou de volta das férias! Acreditam que pensei muito em vocês durante todo esse tempo? É verdade! Não podia ver nada de lindo ou diferente que pensava assim:" Puxa vida, minhas leitoras iriam adorar ver isso!". Isso acontecia quase o tempo todo. Meu marido já até completava as minhas frases no final da viagem. Ele dizia: "Já sei, suas leitoras vão adorar isso!". Dizia isso levemente irritado por duas razões:
1) Ciúmes, ô homem ciumento!
2) Era para ser uma viagem cultural, entendem? Nós combinamos isso. Estudei pra caramba, antes da viagem. Li uns quatro guias de viagem de cada cidade visitada, comprei livros de história geral, história da arte... (Lembram? Comprei na Bienal por uma bagatela!)
Porém, amigos e amigas, lamento dizer que toda a importância do império romano caiu por terra depois que eu passei em frente à Sephora da Via del Corso.
Vocês entendem esse sentimento? De TER QUE ENTRAR NA LOJA porque a pessoa (no caso, eu) começa a sentir uma taquicardia incontrolável e uma sensação de desmaio eminente se não entrar IMEDIATAMENTE na dita cuja da loja?
Eu me senti até mal, meio superficial. Nos primeiros dias, ainda tentei disfarçar, aguentei bem em Londres, só fazendo pequenas compras nas lojas dos castelos ou dos museus (aliás, consegui comprar toda a minha wish list da Torre de Londres).
Mas quando passei em frente à Sephora gigante do Champs-Elysées consegui convencer meu marido que PRECISAVA entrar. Sabem quanto tempo ele me deu dentro da loja? O tempo de ele tomar um sorvete do outro lado da rua. Pra completar o desespero, percebi que meu dinheiro estava preso embaixo de toneladas de roupas. Não tinha nenhum banheiro nas redondezas de onde eu pudesse acessar o dinheiro sem fazer um espetáculo de striptease.
Daí eu me encostei numa árvore em frente à loja e chorei muito. Quando ele me encontrou, pensou que eu tinha sido assaltada ou algo do gênero. Tivemos uma conversa daquelas e esse papo mudou pra melhor o curso da nossa viagem, que passou a ser cultural e levemente consumista.
Dizem que as viagens servem para que possamos nos conhecer melhor. É verdade! Eu estava super metida estudando e acreditando que eu tinha a capacidade de ignorar os apelos do consumo. Pois muito bem, eu não consigo. Muito prazer, esta sou eu: uma pessoa que não consegue fazer uma viagem puramente cultural. Acho que meu choro em frente à Sephora foi mais de frustação diante dessa constatação do que de desespero pelo pouco tempo dentro da loja. E a verdade dói.
Por isso, pergunto: vocês vão conseguir continuar me amando apesar de eu ser uma pessoa levemente superficial? Ou será que vocês me amam justamente por isso?
(caso vocês me detestem, não quero saber o motivo)
Mudando de assunto: como foram de festas de final de ano???Quero saber tu-do!
Ai, que saudade!
Beijos e desculpem pelo primeiro post-desabafo de 2010!

Quem somos nós:

Minha foto
minhapele@ig.com.br, Rio de Janeiro, Brazil
Uma médica que ama dermatologia, medicina estética, e principalmente, ADORA o que faz. Um cirurgião plástico apaixonado pela profissão.

Siga "Minha Pele" no seu e-mail...

Acompanham este blog:

Onde você está???