quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Sobre Cicatrizes e palavras tristes.


Estou lendo um livro chamado "Pequena Abelha". Foi super elogiado pela crítica, chamado de "Impressionante", "Brilhante", "Uma história Arrebatadora" e etc. Sinceramente?
Estou na pagina 17 e achando o livro chatíssimo.

Mas acabei de ler uma passagem super emocionante que decidi dividir com vocês. Juro, parei de ler o livro e vim aqui repassar esse trecho:

"Nas pernas escuras da moça havia muitas cicatrizes brancas pequeninas. E pensei: Será que essas cicatrizes estão no seu corpo inteiro, como as luas e as estrelas no seu vestido? Achei que isso também seria bonito, e peço-lhe neste instante que faça o favor de concordar comigo que uma cicatriz nunca é feia. Isto é o que aqueles que produzem as cicatrizes querem que pensemos. Mas você e eu temos que fazer um acordo e desafia-los. Temos que ver todas as cicatrizes como algo belo. Combinado? Este vai ser o nosso segredo. Porque, acredite em mim, uma cicatriz não se forma num morto. Uma cicatriz significa: "Eu sobrevivi".

Daqui a pouquinho vou falar umas palavras tristes para você. Mas você deve escuta-las da mesma maneira como combinamos ver as cicatrizes. Palavras tristes são apenas uma outra forma de beleza. Uma história triste quer dizer: essa contadora de histórias está viva. Daí a pouco, alguma coisa boa vai acontecer com ela, uma coisa maravilhosa, e ela vai se virar e sorrir."

AUTORA: CHRIS CLEAVE

Estou confiante que agora vou começar a gostar mais desse livro! Tem livro que começa morno e depois não conseguimos mais largar.

Muitas pessoas choram no consultório, sobretudo as que sofrem com melasma e cicatrizes de acne. Também trabalhamos com quelóides, cicatrizes hipertróficas e atróficas, cicatrizes decorrentes de mutilações (cirúrgicas ou traumáticas), mas todas, repito: to-das, são exatamente como a autora descreve de maneira tão simples e objetiva.

As cicatrizes nada mais são do que o testemunho biológico da vitória do seu corpo sobre algum infortúnio orgânico. O post terá atingido a seu objetivo se você mudar de paradigma e conseguir enxergar a sua cicatriz com olhos mais generosos.
E uma pitada de orgulho.

33 comentários:

Débora disse...

Nossa sério nunca tinha comentado aqui antes mas dps deste post TENHO que comentar!! ADORO minha cicatrizes! Acho que devo ser caso raro! Mas todas elas me lembram como eu fui uma criança feliz que vivia se esfolando pela rua brincando! Tenho outras que escolhi ter, obviamente tb gosto delas afinal escolhi tê-las!
Ótimo post! Muito legal tu ter compartilhado essa passagem do livro!

Beijão

Danielle Littera disse...

Lindo!! Clap, clap, clap!
Eu não gosto muito das minhas cicatrizes de acne, mas são poucas e tenho muito orgulho da minha única cirurgia. É lindo ter uma história boa pra contar, não sinto a menor vergonha, sinto que passei por determinada experiência, justo e poeticamente assim.

Beijocas e obrigada por dividir isso com a gente.

Iza Vieira disse...

Eu tenho uma de tenorrafia que tive que fazer no pé por causa de um corte com vidro. e sabe? eu gosto dela... me lembra de um dia em que eu descobri que sou bastante forte e ele é um Z. pensei até em tatuar um I antes e um a depois...

Lu disse...

Lu, adoro o blog!!! Parabéns.

O texto é poético e lindo mesmo, vc tem toda razão, mas não me convenceu a me orgulhar das minhas cicatrizes de acne + melasma. Se já não bastassem os "buracos", eu ainda tenho manchas escuras que parecem de dálmata. Não consigo ver beleza, por mais que eu tente.

Só quem convive com isto sabe como é triste tentar esconder as manchas e nada ficar bom, ou a base não cobre direito (Studio Fix, Pureness, EDM...), ou cobre e fica parecendo reboco (Dermablend), sem contar os buracos de acne, que não tem muito o que fazer.

Já fiz peeling de ATA, de Fenol (Jessner) e de glicólico, também tentei 6 sessões de luz pulsada, 1 de YAG e 6 de CO2. Melhorou só um pouco.

Acho que cicatrizes "Ice Pic" não tem jeito mesmo, e melasma, menos ainda.

Quem tem pele boa, não sabe como é difícil ser vaidosa e ter a pele marcada por manchas e cicatrizes.

Queria um post sobre cicatrizes de acne e porque não tem como nos livrarmos delas por completo :)

Obrigada por compartilhar tanto conhecimento de uma forma tão legal.

Bjkas mil

Vicky disse...

Eu devo ser mais estranha do que imagino, sempre gostei de cicatrizes e todo namorado que tive eu queria saber logo se tinha alguma cicatriz e a história dela. Já me apaixonei por um cara por causa das cicatrizes dele. Mas aí acho que é caso para um terapeuta e nao um dermato! rsrsrs

Luciana Leal disse...

Eu também me orgulho da minha, mas pra mim, admito, é fácil, pois se localiza no tornozelo.
Quando eu tinha nove anos, quase tive meu pé decepado num acidente de bicicleta (a fratura foi quaseeposta emeu pé ficou pendurado num angulo de 90 graus).
Engraçado que fui crescendo e a cicatriz acompanhou meu crescimento.
Foi um dos piores dias da minha vida, mas...Estou viva! É isso que importa!

Luhana disse...

Nossa Lu, pensei q só eu fosse loca de gostar de cicatrizes. Quando eu era criança/adolescente era fera com os patins e me jogava literalmente, além de algumas cicatrizes no braço tenho os joelhos estourados por dentro e por fora por ter tido a rótula de ambos exposta, mas acho q seu acidente ainda foi pior.
A q eu mais gosto é de uma que eu tenho no dedo da mão de quando meu cachorro (amor da minha vida q já não está mais entre nós) era filhotinho e tinha uma mania louca de morder. Mas uma cicatriz q eu quero mto ter e acho LINDA é a cicatriz de cesariana, só sendo mulher msm pra entender o q se passa nessa nossa cabeça, né?!

Beijão

Anônimo disse...

obrigada por compartilhar este trecho do livro. interessante!

a gente tem a tendencia de levar para o negativo tantas coisas em nossa aparencia. quando na verdade deveriamos ser gratos por tudo o que temos e somos no geral.

a gente reclama da espinha e esquece de agradecer pelos pulmoes, rins, etc que vao muito bem obrigada!

por exemplo: eu sempre briguei com meu cabelo por ser volumoso, armado. recentemente descobri um "buraco" na cabeca devido a alopecia e tudo que mais quero é ter minha juba de volta.

vivendo e aprendendo.

Cris disse...

Luciana,
Nunca havia lido algo que resume exatamente as cicatrizes que eu tenho. Em 2006, com apenas 33 anos, descobri um CA na mama esquerda e tive que fazer uma mastectomia. Um ano depois reconstruí a mama com retirada de pele e gordura da barriga. Tenho cicatrizes na mama reconstruída, na barriga e no colo por causa de um cateter e elas significam que eu SOBREVIVI. É impressionante como elas não me incomodam e em nada afetou o meu casamento. Se continuo a mesma pessoas depois delas? Definitivamente não! Sou muito melhor hoje em dia, mais madura, mais vaidosa e posso dizer... mais feliz!!!
Um beijo grande e obrigada por sempre postar textos tão especiais em seu blog,
Cris
P.S: Tô sempre de olho nas suas dicas de beleza e produtos. : - )

Luciana Brito disse...

Lindo, adorei, tb tenho uma cicatriz enorne na barriga, por causa de um apêndice supurado,fiquei 6 dias com dor até ser operada,ninguém descobria o que era,corria serio risco de ter uma infecção generalizada,mas graças a Deus sobrevivi,a cicatriz é o de menos,mas mesmo assim eu não gosto dela,mas depois desse post maravilhoso vou pensar diferente.

Prianti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zic disse...

Oi Dra. Lu,

Adorei o post, mas não me fez gostar das minhas cicatrizes de acne.
Me identifiquei mais com as pacientes que choram pois tenho melasma também.

Meu caso não é grave, não me sinto uma monstra, mas me incomoda muito.

Mas me fez gostar e te admirar mais. Você é um amor de pessoa!
mil beijos!

Marina disse...

Sou os dois lados da moeda. Tenho cicatrizes sob meus seios que não me incomodam nem um pouco, afinal, graças a elas sou uma turbinada linda!!! Mas MELASMA não, por favor!! Só eu sei o quanto é ruim não poder tomar "aquele" banho de piscina, ir ao Rio e ter que passar longe da praia, ver meu rosto ficar literalmente preto se sinto calor na rua, retocar bloqueador de 3 em 3 horas e todos os perrengues que a Lu citou acima. Cicatriz te diz: vc sobreviveu, mas meu melasma ainda não me disse nada. Especialmente o da testa, que tem formato de morcego (juro!)e é enorme!!!

Charlene disse...

Nossssa adoro os seus posts, da próxima vez que for ao Rio vou querer conhecê-la.
Abraços!
Charlene
Fortaleza-CE

Anônimo disse...

Parabéns pelo post! Num mundo onde só o que se valoriza é a beleza perfeita e irreal, é com alívio que leio algo tão sensível de uma formadora de opinião. Continue assim.
Alice

Badá Rock disse...

Será que Bibi Aisha concorda que suas cicatrizes são belas?

http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=14810

Particularmente, eu não faço tempestade em copo d'água - tenho melasma e cicatrizes de acne, além de já ter algumas ruguinhas. Não arranco os cabelos por isso, mas se pudesse, sim, eu abriria mão alegremente dessas cicatrizes e marcas e preferiria ter a pele de porcelana de alguém que nunca teve que passar por tais infortúnios.

Anônimo disse...

Tenho uma cicatriz bem no meio da testa, meio Harry Potter, que adoro, acho linda :) Beijos!

Carla disse...

Adorei o trecho, vou procurar esse livro... Descobri depois de uma cesariana que tinha quelóide... A pomada que a obstetra recomendou não adiantava de nada, então ela me encaminhou para dermatologista dizendo se tratar apenas de uma questão estética. É só isso mesmo ou existe o risco de infecção ou outra complicação? A cicatriz é bem alta e avermelhada. Desde já agradeço.

mclaudialima disse...

Que sensibilidade e generosidade em compartilhar o texto conosco!
Obrigada, Luciana!

Luiza Miranda disse...

Oi Lu,
Bacanérrimo seu post que aborda as diferenças.
Estou atuando com uma ONG que se chama ABOUT FACE e o objetivo da mesma é levar às escolas e empresas a questão das diferenças, tão mal aceita pelas pessoas em geral.
Dessa forma fica aqui meus parabéns por tratar de um assunto que ainda gera muitos conflitos.
Abraços saudosos da mineira.
Luiza

Nutri Bobagens disse...

Fiquei um pouco mexida com esse seu post.
Tive um problema na ultima sexta e agora estou com 5 pontos na testa, bem no meio, minha maior preocupação depois de ser atendida era sobre a cicatriz.
Só vai dar pra saber depois que tirar os pontos, mas estou torcendo para que fique bem fraquinho. De qualquer forma, eu sobrevivi.

Carol - Be Dorothy - disse...

Lindo, tocante, verdadeiro. Nem preciso dizer que o livro já foi pra minha wish list.
Beijos e uma semana abençoada!

Josiane disse...

Achei lindo este texto, tocante. Me inspirou até a procurar este livro para comprar. Obrigada por se preocupar em dividir conosco o que também te toca.
Bjs

Virginia disse...

Esse texto me emocionou, mas na verdade é impossível gostar de cicatrizes, ainda mais quando são no rosto, como no meu caso que tenho cicatrizes de acne. É muito difícil e doloroso, só quem tem sabe.

Juliana disse...

Luciana, boa noite! Engraçado, eu nunca tinha visto uma cicatriz por este ângulo. E ele faz todo o sentido! É a primeira vez que estou entrando neste blog, e estou certa de que vou voltar mais vezes. Aprovado! Um grade abraço.

Kell disse...

Esse texto expressou exatamente o que sinto quando vejo as 2 big cicatrizes que tenho no braço, além de outras menores no mesmo braço. Quebrei o braço aos 2 anos, engessaram errado e, por pouco, não perdi o braço. Graças a isso ficaram sequelas e tive que fazer 2 cirurgias. As cicatrizes não me incomodam visto que são a explicação visual de tudo que me aconteceu. E, como tenho elas desde que me conheço por gente, parece até que já nasci assim.
Geralmente quem se "assusta" com cicatrizes não é porque ela é necessariamente fia, mas pela curiosidade de saber a história por trás da cicatriz. E eu gosto das minhas histórias! (Além das do braço, tenho umas várias outras).

Anônimo disse...

Esse trecho eu já tinha lido, fez eu seguir em frente muitas vezes. Sou borderline e vivo me mutilando, minhas pernas, braços, barriga e recentemente o meu supercilio são todos cheios de marcas, moro em uma cidade super quente e tentava esconder usando manga comprida no calor, mas agora nao me importo, o que realmente interessa é que estou VIVA! Yasmin, 19 anos, Joao Pessoa, Paraiba.

RevitaDerm Cream disse...

Esse texto expressou exatamente o que sinto quando vejo as 2 big cicatrizes que tenho no braço, além de outras menores no mesmo braço. Quebrei o braço aos 2 anos, engessaram errado e, por pouco, não perdi o braço. Graças a isso ficaram sequelas e tive que fazer 2 cirurgias

RevitaDerm disse...

Dessa forma fica aqui meus parabéns por tratar de um assunto que ainda gera muitos conflitos.

Anônimo disse...

Amei o blog!tenho cicatrizes nos bracos feitas pela pessoa que jamais poderia ter feito...eu...sofria de depressao e me machuquei dos 22 ate os 30...faz 3 anos que finalmente me curei e hj sinto mal em expor os bracos...ja tentei assumir mas os olhares doem...se eu pudesse voltar no tempo...
L.

Anônimo disse...

Tenho uma cicatriz na testa em forma de Y... Sempre me acho a mais feia de todas por isso, Por causa de apelidos na escola, eu tentava escondê-la de qualquer forma. Hoje tô na faculdade, e uso cabelo pra trás, nem me importo, mas não consigo sentir-me bonita, mesmo que digam que sou, mesmo que isso seja bobagem. (Amanda)

INNEOV FERMETE disse...

Sofri muito tempo com rugas e marcas na pele procurei vários especialista para me ajudar com o problema e me indicaram o inneov fermete para fazer um tratamento de recuperação na pele...fiz o que ele mandou e para minha felicidade minha pele foi melhorando e melhorando ate chega ao ponto mais saudável possível...estou muito feliz e quem precisa super indico...espero ter ajudado...
abraço

Anônimo disse...

Oi Luciana. Achei seu blog numa pesquisa no Google sobre cicatriz. Tenho uma no braço por conta de um basocelular e agora tudo indica que terei que tirar um do nariz. Fiquei muito triste e chorei bastante pq não queria uma cicatriz no rosto, mas me senti muito melhor ao ler esse post e todos esses comentários. Obrigada.

Quem somos nós:

Minha foto
minhapele@ig.com.br, Rio de Janeiro, Brazil
Uma médica que ama dermatologia, medicina estética, e principalmente, ADORA o que faz. Um cirurgião plástico apaixonado pela profissão.

Siga "Minha Pele" no seu e-mail...

Acompanham este blog:

Onde você está???