domingo, 16 de agosto de 2009

Dicas para cuidar de pessoas acamadas:

Tudo bem, hoje é domingo e esse papo é pesado. Mas se você tem ou teve algum parente acamado, independente do motivo, sabe que o cuidado com essas pessoas deve ser diário, 24Hs por dia, domingo inclusive.
Estou com uma paciente muito querida internada em casa, com Home Care e tudo. Ela fez uma úlcera de pressão (o peso do corpo "corta" a circulação e a pele morre) e estou fazendo sessões de carboxiterapia no local para ajudar com a oxigenação, e consequentemente tentar fechar a ferida. E está dando super certo, graças a Deus. Pensando nela, resolvi fazer esse post.
Porque nunca sabemos quando nós ou algum parente querido poderá precisar desse tipo de cuidados.
# Faça a pessoa acamada mudar de posição na cama a cada duas horas. Dessa forma, você dá um tempinho para cada área de pele receber um pouco de sangue. Isso evita a formação de escaras.
# Procure manter a pele do doente super-ultra-mega-hiper-hidratada. O que você vai usar para conseguir a proeza, seu médico é quem vai dizer, dependendo do caso. Tem vezes em que usamos óleos, loções, cremes... e cada caso é um caso. Seu médico também vai lhe orientar a respeito do uso de sabões durante o banho. Se podem ser usados ou não e quais vocês devem preferir.
# Massagear a pele da pessoa é muito importante, para estimular a circulação e também relaxar a musculatura. Ficar na cama dói.
# Se a escara já se instalou, pergunte a seu médico a respeito do uso de colchões especiais, como o casca de ovo, ou colchões de ar ou água. Novamente, para cada caso existe um colchão específico.
# Na medida do possível, deixe que o paciente escolha a melhor hora para tomar o seu banho. Na posição em que se encontra (de doente) ele terá tão poucas chances de decidir qualquer coisa, que é preciso valorizar esses pequenos espaços de independência. A pessoa precisa sentir que ainda é dona da sua vida.
# Se ele puder tomar banho sozinho, organize todo o material e deixe à mão, próximo de seus braços. Dê privacidade para ele, mas esteja sempre alerta e por perto, caso a pessoa precise de você.
# Não se esqueça de oferecer líquidos, mesmo queo paciente não os solicite. Você não vai conseguir manter a pele dele hidratada, se não houver água dentro do corpo. Porém, dependendo do caso, como por exemplo numa insufiência renal, a pessoa não pode beber água. Nesse caso, você pode oferecer uma gaze úmida para molhar os lábios de seu ente querido. Fique atento para não deixa-lo beber a água do banho. Tenho uma avó que faleceu de insufiência renal e ela tentava beber a água do banho, já que ela não podia beber água. Criativa ela, não??? Mas pode colocar todo o trabalho a perder.
# Organização dos remédios: faça uma planilha com todas as doses e horários explicadinhos, e arrume um lugar especial para deixar tanto a planilha quanto os remédios em si. Pode até plastificar a planilha, para ela durar mais tempo. Faça também uma planilha com a época em que devem ser trocadas sondas vesicais, catéteres, curativos, etc... Não se esqueça de checar a data de validade dos medicamentos.
# Desnecessário dizer: todas as pessoas que vão tocar no paciente ou nos pertences do pacientes devem lavar bem as mãos antes de toca-los. Disponibilize toalhas de papel para a secagem de mãos. Se todos secarem as mãos na mesma toalha, o trabalho está perdido.
# Coloque a cama do paciente junto de alguma janela para que ele possa pegar um solzinho diariamente. E olhar a paisagem, os passarinhos, os vizinhos... isso distrai. Eu compraria até um binóculo para o paciente poder ver "as coisas" com mais detalhes...
# Por falar em distrair, não se esqueça de entreter a pessoa. Deixe à mão CDs, livros, palavras-cruzadas, televisão...Peça para seus filhos organizarem uma peça de teatro e façam uma apresentação para o paciente. Ou faça uma serenata, contrate uns palhaços, use a imaginação. E não fique ofendido se o doente não estiver com espírito para essas coisas. Saiba respeitar o tempo dele. Você também ficaria revoltado se estivesse preso a uma cama.
# Ainda no tema "distrações", uma boa idéia se a doença permitir, é buscar aulas particulares para o doente. Aula de canto, de francês, de gaita, de história da arte... coisas que ele pode fazer deitado. E caso ele se interesse, é claro. Pergunte antes para o médico, a fono e os fisioterapeutas se essa é uma boa idéia. Afinal, a aula de canto ou gaita pode auxiliar até no trabalho da fono, já que a pessoa trabalha com a respiração, as cordas vocais...
# Horários: faça também uma planilha organizando as atividades do dia. Uma vez eu fui fazer a carboxi da paciente e tive que entrar numa fila para fazer o meu trabalho... Precisei esperar a fono e o enfermeiro da diálise, que chegaram antes de mim. A paciente, coitada, ficou perdida no meio de tantas agulhas e ordens que recebeu naquele dia. Isso serve para as visitas também. E lembre-se, a pessoa pode ter vontade de ficar um tempinho sozinha.
# Aproveite a hora do banho ou de algum passeio ao sol para dar AQUELA geral no quarto do paciente. É tão bom estar de volta a um quarto cheirosinho e com a cama meticulosamente arrumada, lençóis limpos...
# Não se esqueça de cuidar da aparência da criatura. Arrume alguem pra fazer as unhas, pintar as raízes do cabelo, fazer uma maquiagem em dias de visita, fazer a barba... Se a família se esquece desses detalhes, o paciente entra até em depressão ao se olhar no espelho.
# Mantenha telefones de emergência à mão. Isso inclui os telefones de todos os médicos, hospitais, ambulâncias e os parentes mais próximos. Aliás, você pode xerocar esses números e deixa-los ao lado de cada telefone da casa. Na hora do susto você não vai querer parar pra se lembrar onde estão os benditos telefones.
# Combine com a sua família para fazerem uma pirâmide de emergência. O que é isso? No caso de uma emergência, ao invés de um cristão ter que avisar à família toda, cada um fica responsável por passar a mensagem adiante para um membro da família. Dessa forma, se hipotéticamente meu avô tiver um piripaque (isola!), eu aviso ao meu irmão, meu irmão avisa a meu tio, meu tio avisa a minha prima, tudo previamente combinado. Em 15 minutos, a família toda está sabendo e você não perde tempo.
# Tente aprender como a equipe de saúde faz os curativos, mobiliza o paciente, porque nunca se sabe se um dia você vai precisar realizar essas tarefas sozinho. Vai que a enfermeira falta? Que o médico tem uma emergência e não pode comparecer? Não fique refém da ignorância...
# Fique atento: se a pessoa não está se alimentando bem, se parou de urinar ou evacuar, se anda sonolenta ou confusa...avise ao médico se alguma dessas coisas acontecer...
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Amanhã eu respondo aos comentários, ok????
Desde sexta que ainda não consegui fazer isso!!!!
Sorry!!!!

16 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom o post! Parabéns pela iniciativa de abordar um assunto tão delicado e relevante. Bjos! Kaká

Vanessa disse...

Oi Lu

Nossa me deu saudades de quando trabalhava (como Enfermeira). Adorei o jeito que vc escreveu foi clara e simples e colocou tudo de um modo sim .Posso dar mais uma dica ? Quando movimentar o paciente nunca faze-lo sozinho sempre com a ajuda de alguem pois além de causar atrito na pele(do pcte) a pessoa pode machucar a coluna.

Bjo

Clô disse...

Achei suas dicas muito interessantes. Diante da doença,as vezes, a gente fica perdida sem saber o que fazer. Lembro que a dois anos atrás minha mão ficou sem poder andar, por causa de umas úlceras no calcanhar. Ela ficou muito desaminada, ai eu lembrei que ela gosta de bordar e comprei tecido, linhas e revistas com gráficos de ponto cruz. Isto a ajudou muito, o tempo passava rápido e ela não ficava se lamentando por estar na cama.

Tássia Cavalcante disse...

Adorei o blog, dicas óootimas!!
Beijos

Ana BH disse...

Ah se tivesse lido isso ha dez anos, quando minha mae estava acamada...beijos e parabens

Dee disse...

Um post melhor do que o outro!
Parabéns!

Renata disse...

Legal o post, Luciana! Esperamos nunca precisar, mas acontece, né? Inclusive a gente pode estar é algum dia precisando desses cuidados. Ter alguém cuidando, quando doente, é essencial pra recuperação, em todos os sentidos.

Obrigada.

beijinhos!

Nanda e Davi disse...

EXCELENTE POST!

Muito interessante e importante na vida de todos nós. Tenha a certeza de que aprendi mto com ele. Parabéns, Lú!

Flávia disse...

Lu, é importante também lembrar da higiene bucal dos acamados. É comum as pessoas esquecerem disso e se preocuparem somente com a doença.
O cuidador deve escovar os dentes do acamado (se possível) e um bochecho com flúor e antiséptico ajudam prevenir de cáries.


bjo
Flávia

Luiza Miranda disse...

Querida Luciana,
Infelizmente meio atribulada e deixei de visitar seu blog.
Hoje ao abri-lo me deparei com este post que me remeteu aos cuidados que tivemos com minha mãe e irmã.
Desde o final do ano passado vivenciei esta situação com outra irmã em SP, como vc sabe, lendo seu post revivi todos os momentos e exatamente os cuidados relatados.
Fazia palavras cruzadas com ela, via bons filmes e procurava sempre estar de alto astral, mesmo que eu não o estivesse, porque não é fácil para um parente enfrentar a realidade dos fatos.
Considero o bom humor um dos itens mais importantes para estar ao lado de alguém acamado.
Com certeza suas dicas são excelentes e expressam exatamente como devem ser os cuidados com um paciente.
Vou copiar inclusive para algumas pessoas conhecidas.
São muuuuuuito úteis e muitas pessoas precisam aprender.
Se der pinçarei algumas dicas sua para publicar no meu blog sobre o assunto, com seus créditos, claro, pois fico muito penalizada quando vejo pessoas doentes e mal tratadas.
Bjs,
Luiza

Hanid disse...

Lu
Como sempre vc aborda todos os assuntos de uma maneira muito sutil e inteligente.Eu penso que esse post vai ajudar muitas outras pessoas .
Parabens!! Nos amamos vc!!!
Beijos
HAnid

Luciana Leal disse...

Oi,gente!!!
Obrigada pelos elogios!!!
Muitos de nós já passamos por essa experiência, não é verdade???
No meu caso, eu já fui a paciente (três meses acamada com uma fratura que quase levou o meu pé embora), o parente cuidador e a médica. Nenhuma dessas três situações é fácil de se viver.
Podem acrescentar mais dicas, ok???
Beijinhos a todos!!!!

Anônimo disse...

Eu sempre me confundi com essa história do colchão. Falava "casca" de ovo, mas o formato é mais parecido com a "caixa" do ovo não é? Aí eu me corrigia e tentava falar caixa sempre, mas a casca escapava de vez enquando. Hoje já acostumei a falar caixa...

Googlei e existem ambos. Mas, se chamar de casca...seria colchão "cascas" de ovos, várias, uma ao lado da outra hein...

Quanta baboseira!

Anônimo disse...

Olá Lu..

Excelente post sobre os cuidados com acamados.. meu marido está a 14 anos na cama e só eu sei o quanto essas informações contribuem para o nosso dia a dia. Verdade pura, sei por experiência própria. Beijos

Anônimo disse...

Eu sou Neuzinha.. autora do post anterior

Fabiano disse...

De: Fabiano

Boa Noite.
Boas dicas,pois tenho minha mãe acamada a 4 anos devido 3 AVCs que afetou a coluna/braços/pernas,só movimenta um braço,meu pai que está a frente e (eu e meu irmão) revezamos para ajuda-lo mesmo morando a 3horas de distância vou quando dá.Estamos sempre hidratando ela e a pele.

Quem somos nós:

Minha foto
minhapele@ig.com.br, Rio de Janeiro, Brazil
Uma médica que ama dermatologia, medicina estética, e principalmente, ADORA o que faz. Um cirurgião plástico apaixonado pela profissão.

Siga "Minha Pele" no seu e-mail...

Acompanham este blog:

Onde você está???